Padrão eISS – Antigo

 

Para o padrão eISS existem algumas diferenças em relação aos demais modelos que seguem o padrão ABRASF, listadas abaixo:

  1. Upload do arquivo de integração

O padrão eISS não possui integração via Web Service, sendo realizada a emissão via upload de arquivo TXT. Para saber detalhes sobre padrões que integram via upload de arquivo, veja o artigo Integração com padrões que utilizam arquivos.

 

Após ser realizado o upload, é necessário acessar a opção “Acompanhamento de Arquivos”, conforme destacado na imagem abaixo.

 

É preciso filtrar pela data de envio do arquivo, no grupo “Filtro de localização de arquivos”.  Após filtrar, o sistema irá apresentar os arquivos carregados no dia. A direita, existe um botão que permite fazer o download do arquivo de retorno, que deve ser convertido e enviado ao InvoiCy, para atualização do status do RPS.

  1. Discriminação do Serviço

A Discriminação do serviço não permite acentuação ou qualquer outro caractere especial, dessa forma, o InvoiCy irá substituir pelo equivalente sem a acentuação.

  1. Particularidades nos dados para emissão
  • A série do RPS deve, obrigatoriamente, ter 4 caracteres.
  • O padrão não utiliza deduções, alíquota, valor de iss e valor de iss retido.
  • O campo Código de atividade deve ser informado no campo código de tributação do município (TributMunicipio) e não item da lista de serviço (IteListServ) pois, por mais que no manual da prefeitura utiliza esta nomenclatura, não refere-se à lista de serviços da LC 116/2003.
  • Local de prestação do serviço – informar 1 ou 2 para no município, e 3 ou 4 para fora do município.
  • Serviço Prestado em vias públicas (tag < ServicoViasPublicas>) é obrigatório.
  • País do tomador é obrigatório se o tomador for estrangeiro. Caso não informado, o sistema irá entender que o tomador é brasileiro.
  • O serviço será caracterizado como exportação se o campo natureza da operação (natop) conter o valor 9 e o país do tomador for diferente de Brasil.
  • Os impostos que podem ser informados na nota são IR, PIS/PASEP, COFINS, CSLL, OutrasRetencoes (para Valor não Incluso na Base de Cálculo – exceto tributos federais).
  • É necessário informar o campo serQuantidade. Caso contrário será enviado 1.
  • O padrão permite informar o número e valor da fatura com os campos nrofatura eValLiqFatura.
  1. Identificar erros no arquivo

O Padrão dispõe de uma lista de erros possíveis, veja aqui. Os erros poderão ser encontrados no arquivo de retorno. É possível baixar o arquivo e no final de cada linha tem um código de erro e um ponto e vírgula (‘;’). (fazer upload e linkar o pdf que está na pasta)

  1. Exemplo de XML

Visualize um exemplo de XML para emissão no padrão eISS clicando aqui.

 

Padrão eISS

 

Para o padrão eISS existem algumas diferenças em relação aos demais modelos que seguem o padrão ABRASF, listadas abaixo:

  1. Upload do arquivo de integração

O padrão eISS não possui integração via Web Service, sendo realizada a emissão via upload de arquivo TXT. Para saber detalhes sobre padrões que integram via upload de arquivo, veja o artigo Integração com padrões que utilizam arquivos.

Após salvar o arquivo em um diretório, o usuário terá de acessar o sistema da prefeitura. Conforme a imagem abaixo, destacado em vermelho, o usuário deverá acessar a opção “Arquivos” > “Enviar RPS em Lote”. Nessa tela, existe a opção para escolher o arquivo TXT, bem como a opção (destacada em vermelho) “Gera NF-e automaticamente”. Essa opção deve sempre ser marcada para emitir a nota, caso contrário, apenas o arquivo é validado.

 

Após ser realizado o upload, é necessário acessar a opção “Acompanhamento de Arquivos”, conforme destacado na imagem abaixo.

 

É preciso filtrar pela data de envio do arquivo, no grupo “Filtro de localização de arquivos”.  Após filtrar, o sistema irá apresentar os arquivos carregados no dia. A direita, existe um botão que permite fazer o download do arquivo de retorno, que deve ser convertido e enviado ao InvoiCy, para atualização do status do RPS.

  1. Discriminação do Serviço

A Discriminação do serviço não permite acentuação ou qualquer outro caractere especial, dessa forma, o InvoiCy irá substituir pelo equivalente sem a acentuação.

  1. Particularidades nos dados para emissão
  • A série do RPS deve, obrigatoriamente, ter 4 caracteres.
  • O padrão não utiliza deduções, alíquota, valor de iss e valor de iss retido.
  • O campo Código de atividade deve ser informado no campo código de tributação do município (TributMunicipio) e não item da lista de serviço (IteListServ) pois, por mais que no manual da prefeitura utiliza esta nomenclatura, não refere-se à lista de serviços da LC 116/2003.
  • Local de prestação do serviço – informar 1 ou 2 para no município, e 3 ou 4 para fora do município.
  • Serviço Prestado em vias públicas (tag < ServicoViasPublicas>) é obrigatório.
  • País do tomador é obrigatório se o tomador for estrangeiro. Caso não informado, o sistema irá entender que o tomador é brasileiro.
  • O serviço será caracterizado como exportação se o campo natureza da operação (natop) conter o valor 9 e o país do tomador for diferente de Brasil.
  • Os impostos que podem ser informados na nota são IR, PIS/PASEP, COFINS, CSLL, OutrasRetencoes (para Valor não Incluso na Base de Cálculo – exceto tributos federais).
  • É necessário informar o campo serQuantidade. Caso contrário será enviado 1.
  • O padrão permite informar o número e valor da fatura com os campos nrofatura eValLiqFatura.
  1. Identificar erros no arquivo

O Padrão dispõe de uma lista de erros possíveis, acesse aqui. Os erros poderão ser encontrados no arquivo de retorno. É possível baixar o arquivo e no final de cada linha tem um código de erro e um ponto e vírgula (‘;’).

  1. Exemplo de XML

Acesse o exemplo de XML para emissão no padrão eISS.

Padrão FISS-LEX – Antigo

 

Para o padrão FISS-LEX existe algumas diferenças em relação aos demais modelos que seguem o padrão ABRASF, listadas abaixo:

  1. Habilitação para emissão via Webservice.

Para permitir o envio de NFS-e via Webservice, é necessário solicitar a liberação via sistema da prefeitura.  O acesso ao sistema não garante a possibilidade de emissão, por isso se torna necessário realizar este procedimento.

O cancelamento por padrão não é liberado com a emissão, sendo necessário solicitá-lo à prefeitura.

  1. O sistema não permite:
  • Informar o Intermediário do serviço.
  • Substituição de RPS.
  • Itens da nota.
  • Deduções.
  1. Numeração do RPS

A numeração do RPS é fixa e sequencial.

  1. Natureza da Operação.

O campo de natureza da operação deverá seguir o padrão do InvoiCy NFS-e abaixo:

Natureza de Operação

  1. Exemplo XML

Segue um exemplo de XML enviado ao InvoiCy NFS-e, acesse aqui.

Padrão FISS-LEX

 

Para o padrão FISS-LEX existe algumas diferenças em relação aos demais modelos que seguem o padrão ABRASF, listadas abaixo:

  1. Habilitação para emissão via Webservice.

Para permitir o envio de NFS-e via Webservice, é necessário solicitar a liberação via sistema da prefeitura. O acesso ao sistema não garante a possibilidade de emissão, por isso se torna necessário realizar este procedimento.

O cancelamento por padrão não é liberado com a emissão, sendo necessário solicitá-lo à prefeitura.

  1. O sistema não permite:
  • Informar o Intermediário do serviço.
  • Substituição de RPS.
  • Itens da nota.
  • Deduções.
  1. Numeração do RPS

A numeração do RPS é fixa e sequencial.

  1. Exemplo XML

Acesse o exemplo de XML enviado ao InvoiCy NFS-e, clicando aqui.

Consultar validade do certificado digital

Última atualização em: 22 de dezembro, 2014

 

A Plataforma InvoiCy disponibiliza para o usuário a possibilidade de realizar uma consulta para verificar a data de validade do certificado digital do tipo A1 da sua empresa emissora, bem como os dias restantes para o vencimento do mesmo.

 Para isso, basta consumir o Web Service de envio de documentos, passando a informação do CNPJ da empresa e a UF da mesma. Será retornado então a data de validade do certificado e a quantidade de dias restantes até o seu vencimento. A seguir um exemplo de estrutura de consulta da validade do certificado digital.

Clique aqui para realizar o download de um exemplo de envio de consulta da validade do certificado digital.

No retorno da consulta serão apresentadas as tags < CertDtaVencimento> com a data de validade do certificado digital, e < CertDiasValido> com a quantidade de dias restantes até o seu vencimento.

Clique aqui para realizar o download de um exemplo de retorno da consulta da validade do certificado digital.

É importante destacar que se no momento da consulta for informado algum dado além do CNPJ e UF da empresa a consulta não retornará as tags referente a validade do certificado.

Padrão BSIT-BR – Antigo

 

Para o padrão BSIT-BR existem algumas diferenças em relação aos demais modelos que seguem o padrão ABRASF, listadas abaixo:

  1. Habilitação para emissão via Webservice.

Para permitir o envio de NFS-e via Webservice, é necessário solicitar a liberação via sistema da prefeitura. Menu Principal -> AIDF -> 1.Solicitar AIDF, como pode ser visualizado na imagem abaixo.

 

Após ser realizada a solicitação, é necessário esperar a prefeitura autorizar a mesma, sendo enviado após a liberação, um e-mail com os dados de autenticação.

Quantidade de documentos será a quantidade de RPS que serão possíveis de emitir para cada AIDF solicitada.

  1. Dados de autenticação

Para permitir a comunicação com a prefeitura é necessário informar no cadastro da empresa, os campos “Usuário Autent.”, “Senha Autent.” e “Chave primária Autent.” (painel de controle > dados da empresa), com os respectivos valores recebidos no e-mail de autorização de emissão.

Obs.: A Chave primária se refere a chave de acesso para emissão.

  1. Ambiente de homologação

O município de Jataí e Nerópolis possuem ambiente de homologação. Para a emissão segue a mesma orientação abordada acima.

  1. O sistema não permite:
  • Envio de RPS sem tomador.
  • Informar o Intermediário do serviço.
  • Substituição de RPS.
  • Itens da nota.
  • Deduções.
  1. Cancelamento

O cancelamento precisa ser aprovado pela prefeitura, sendo possível solicitá-lo através do mesmo fluxo de cancelamento atual do InvoiCy. Após ser aprovado, é necessário consultar a NFSe para atualizar seu status.

  1. Numeração do RPS e Série

A numeração do RPS é fixa e sequencial. Também não há série para o padrão, sendo necessário informar o valor ‘1’.

  1. Espelho de NFS-e da Prefeitura

O usuário tem a disposição à impressão do espelho da NFS-e original gerado pela prefeitura. Como a prefeitura possui um serviço dedicado para isso, este será o padrão de impressão caso a nota estiver efetivada ou cancelada. Caso contrário, o modelo de espelho gerado será o do InvoiCy.

  1. Informação obrigatória para emissão

Surgiu a necessidade de criar um novo campo exclusivo a este padrão no layout de integração, que se refere ao tipo de telefone do tomador da nota, representado pela tag <TomaTipoTelefone>. Este campo deverá obrigatoriamente ser preenchido. Os valores a serem informados são os seguintes:

CodTomaTelefone

  1. Natureza da Operação.

O campo de natureza da operação deverá seguir o padrão do InvoiCy NFS-e abaixo:

NaturezaOperacao

 

Para visualizar o XML de exemplo clique aqui.

Padrão BSIT-BR

 

Para o padrão BSIT-BR existem algumas diferenças em relação aos demais modelos que seguem o padrão ABRASF, listadas abaixo:

  1. Habilitação para emissão via Webservice.

Para permitir o envio de NFS-e via Webservice, é necessário solicitar a liberação via sistema, no Menu Principal -> AIDF -> 1.Solicitar AIDF, como pode ser visualizado na imagem abaixo.

 

Após ser realizada a solicitação, é necessário esperar a prefeitura autorizar a mesma, sendo enviado após a liberação, um e-mail com os dados de autenticação.

Quantidade de documentos será a quantidade de RPS que serão possíveis de emitir para cada AIDF solicitada.

  1. Dados de autenticação

Para permitir a comunicação com a prefeitura é necessário informar no cadastro da empresa, os campos “Usuário Autent.”, “Senha Autent.” e “Chave primária Autent.” (painel de controle > dados da empresa), com os respectivos valores recebidos no e-mail de autorização de emissão.

Obs.: A Chave primária se refere a chave de acesso para emissão.

  1. Ambiente de homologação

O município de Jataí e Nerópolis possuem ambiente de homologação. Para a emissão segue a mesma orientação abordada acima.

  1. O sistema não permite:
  • Envio de RPS sem tomador.
  • Informar o Intermediário do serviço.
  • Substituição de RPS.
  • Itens da nota.
  • Deduções.
  1. Cancelamento

O cancelamento precisa ser aprovado pela prefeitura, sendo possível solicitá-lo através do mesmo fluxo de cancelamento atual do InvoiCy. Após ser aprovado, é necessário consultar a NFSe para atualizar seu status.

  1. Numeração do RPS e Série

A numeração do RPS é fixa e sequencial. Também não há série para o padrão, sendo necessário informar o valor ‘1’.

  1. Espelho de NFS-e da Prefeitura

O usuário tem a disposição à impressão do espelho da NFS-e original gerado pela prefeitura. Como a prefeitura possui um serviço dedicado para isso, este será o padrão de impressão caso a nota estiver efetivada ou cancelada. Caso contrário, o modelo de espelho gerado será o do InvoiCy.

  1. Informação obrigatória para emissão

Surgiu a necessidade de criar um novo campo exclusivo a este padrão no layout de integração, que se refere ao tipo de telefone do tomador da nota, representado pela tag <TomaTipoTelefone>. Este campo deverá obrigatoriamente ser preenchido. Os valores a serem informados são os seguintes:

Códigos_Telefone

 

Para visualizar o XML de exemplo clique aqui.

Relatórios tipo mapa resumo

Última atualização em: 10 de julho, 2017

 

A Plataforma InvoiCy foi adequada de forma a permitir a geração de sete tipos de relatórios, em formato Excel 2007 (.XLSX), onde os usuários podem conferir as informações dos documentos CF-e SAT ou das NFC-e emitidas. Destacando que essa funcionalidade atualmente está disponível somente no ambiente InvoiCy In house.

Para isso foi implementada uma nova opção no Painel de Controle, que possibilita a geração destes relatórios. É importante destacar que o acesso à esta tela será permitido apenas para usuários administradores, ou que possuírem configurada a opção “Gerar Relatórios” nas configurações de usuário, como demonstra a imagem abaixo.

A empresa ainda tem a opção de configurar se irá utilizar ou não essa funcionalidade da geração de relatórios, através do Painel de Controle – Configurações para emissão do Módulo NFC-e, como pode ser observado na imagem a seguir.

 

No caso desse parâmetro estar configurado como Não, a empresa poderá até solicitar a geração dos relatórios através da tela, mas estes serão gerados sem nenhuma informação.

Para acessar a tela de geração de relatórios basta ir até o Painel de Controle, e no grupo ‘Configurações do Parceiro’ clicar sobre o ícone Relatórios, como demonstrado na imagem a seguir. Ao acessar a tela de Relatórios, basta clicar na aba Gerencial/Fiscal.

 

Os relatórios não serão gerados em tempo real devido ao volume de dados, mas serão agendados para posterior execução. O usuário tem a opção de receber os relatórios gerados por e-mail. Para isso, é necessário informar um e-mail válido na tela onde são configuradas as opções para geração dos relatórios, para o qual será enviado o link para download do relatório após a geração do mesmo.

A empresa também necessita ter uma caixa de e-mail configurada, para que o InvoiCy consiga enviar o e-mail ao usuário informado. Para mais informações sobre como configurar uma caixa de e-mail veja o artigo Configurando uma caixa de e-mail. Se o servidor de e-mail não estiver cadastrado o usuário poderá então fazer download dos relatórios através da tela de geração.

Para geração dos relatórios são disponibilizados alguns filtros na tela, como o tipo de relatório (NFC-e ou CF-e SAT), período de datas, número da CFOP e status da NFC-e ou CF-e SAT, que pode ser rejeitado, pendente, cancelado, autorizado, Offline e EPEC. Se o usuário optar por gerar um relatório com os dois tipos e marcando mais de um status os valores serão somados, portanto para saber os valores separados é necessário gerar um relatório com um tipo e status específico.

Através do filtro de seleção de empresas é possível especificar para quais empresas os relatórios serão gerados, onde pode-se selecionar uma ou várias empresas. As empresas selecionadas serão apresentadas em tela através de uma tabela, permitindo a visualização do usuário.

Juntamente nesta tela consta uma lista dos relatórios agendados, onde o usuário pode acompanhar o status de geração de cada relatório, a sua data de inclusão e execução, e no caso de falhas uma breve explicação. Após o relatório ter seu status concluído, o botão de download será habilitado para que o usuário possa baixar o relatório para a sua máquina.

Também existe uma opção que possibilita abortar a geração dos relatórios. Caso o usuário solicite a geração de um relatório e por algum motivo precise cancelar o processo, se o relatório não tiver sido gerado ainda e estiver com status ‘Não iniciado’, poderá abortar a geração deste relatório. Veja na imagem abaixo a opção de abortar.

Para geração dos relatórios, foi levado em consideração o limite de 1.048.576 linhas e 16.384 colunas na planilha Excel. Caso os dados ultrapassem esse valor serão gerados novos arquivos com a continuação do relatório. Todos os arquivos gerados serão compactados em um arquivo .zip.

Todos os relatórios gerados contam com um cabeçalho padrão, contendo o título e os filtros aplicados para a sua geração, como o período de datas e número da CFOP. Serão apresentados ainda todos os status disponíveis dos CF-e SAT e NFC-e, identificando os status selecionados para geração com a descrição “Sim”. A descrição “Não” representa os status que não foram considerados na geração. Na coluna Módulo é especificado para qual modelo de documento o relatório foi gerado (NFC-e ou CF-e SAT). No caso de o usuário gerar um relatório com os dois modelos de documento essa coluna não será apresentada. A imagem a seguir demonstra o cabeçalho de um dos relatórios gerados.

Relatorios

Os filtros disponíveis para seleção dos tipos de relatórios são os seguintes:

– Consolidado por LOJA X DIA – Valor total de vendas: Este relatório servirá como base para verificar o valor total das vendas realizadas em determinado período. Para isso irá apresentar a data de emissão, código da filial, o valor bruto das vendas realizadas no período, de acordo com os filtros aplicados, e o valor total geral destas vendas.

– Consolidado por LOJA X DIA – ICMS: Será apresentado neste relatório o valor total dos documentos emitidos com informações de ICMS, trazendo uma tabela com a data de emissão, código da filial, valor total do ICMS e ainda um total geral.

– Consolidado por LOJA X DIA – PIS/COFINS: Neste relatório será apresentado o valor total dos documentos emitidos com informações de PIS e COFINS, trazendo informações de data de emissão, código da filial, valor base do PIS e do COFINS e valor do imposto, e ainda um total geral do valor base e valor do imposto.

– Consolidado por FILIAL X DIA X MAQ X ALIQUOTA: As informações que irão compor este relatório serão o código da filial, modelo do documento, data de emissão e série. As demais informações de CST, valor bruto, valor base e valor do imposto estarão divididas de acordo com a alíquota informada, que poderá ser Alíquota 7, Alíquota 12, Alíquota 17, Alíquota 18, Isento e Substituição Tributária. As informações de CST, valor bruto, valor base e valor do imposto relacionadas ao PIS e COFINS também se encontram neste relatório.

– Aberto por NFC-e e CF-e SAT: As informações apresentadas neste relatório serão o código da filial, modelo do documento, Série, Número do documento, CFOP, Data da Emissão, CPF/CNPJ, Chave de acesso, Valor Total, Quantidade de Itens, Base e valor do ICMS, Base e valor do PIS e Base e valor do COFINS.

– Aberto por Item de NFC-e e CF-e SAT: Este relatório irá disponibilizar as informações dos itens informados nos documentos emitidos. As seguintes informações serão apresentadas: código da filial, modelo do documento, Série, Número do documento, CFOP, Data da Emissão, CPF/CNPJ, Chave de Acesso, ID do Item, Código, Descrição, NCM e Quantidade do Produto, e Valor Bruto. Para o ICMS, PIS e COFINS serão apresentadas as informações de Base de Cálculo, Alíquota, Valor e CST.

– PIS e COFINS Consolidado por Produto: Este relatório irá disponibilizar as informações agrupadas pelos itens informados nos documentos emitidos para o respectivo mês filtrado. As seguintes informações serão apresentadas: Código da filial, modelo do documento, Código e Descrição do Produto, Unidade de Medida, Mês/Ano, NCM, CFOP, Valor e Desconto. Para os grupos de ICMS, PIS e COFINS serão apresentadas as seguintes informações: Base de Cálculo, Alíquota, Valor e CST.

Na sequência está uma representação da nova tela para geração dos relatórios, contendo todas as funcionalidades descritas acima.

Relatórios Gerencial Fiscal

OBSERVAÇÃO: Essa funcionalidade atualmente está disponível somente no ambiente InvoiCy In house.

Importação de documentos para emitir

Última atualização em: 12 de dezembro, 2014

 

A Plataforma InvoiCy oferece duas opções para você usuário realizar a importação de seus arquivos XML.

Na tela de importação de documentos, primeiramente encontra-se a aba “Autorizados” onde tem a opção de importar um arquivo proc.xml, ou um arquivo compactado com vários proc.xml. Poderá escolher também a forma como será notificado assim que a importação estiver concluída, onde as opções são: “E-mail”, “Notificação no Invoicy”, “E-mail e Notificação no Invoicy” e “Não notificar”. Se a opção selecionada for e-mail aparecerá em tela um campo para informação do endereço de e-mail.

Após a importação do documento, aparecerá em tela uma mensagem informando ao usuário que o arquivo foi processado com sucesso, e que o mesmo será notificado quando a importação estiver finalizada.

Nesta mesma tela de importação foi incluída uma aba para realizar a importação dos documentos que ainda não foram emitidos, com isso o usuário poderá continuar emitindo seus documentos mesmo sem possuir conexão com a internet, e depois realizar a importação no InvoiCy, que irá enviar estes documentos para a SEFAZ.

Nesta tela, na primeira etapa deve-se escolher se deseja ou não receber uma notificação por e-mail no final da importação dos arquivos. Se optar por receber uma notificação, aparecerá na tela um campo para preenchimento do endereço de e-mail.

Na terceira etapa encontram-se duas opções para seleção dos arquivos, a opção “Selecionando os arquivos” permite selecionar vários arquivos ao mesmo tempo, já a opção “Selecionando Diretório” possibilita selecionar o diretório onde se encontram os arquivos. É possível ainda selecionar arquivos xml compactados, em formato .zip e .rar.

Ao selecionar os arquivos e clicar em Importar é exibida uma tabela onde o usuário pode verificar o status da importação, a nomenclatura e o tamanho dos arquivos importados.

É importante destacar que a Plataforma InvoiCy permite a importação de arquivos xml de todos os módulos: NF-e, NFC-e, MDF-e, CT-e e NFS-e. E para os usuários que integram via DLL Daruma, podem também importar os arquivos xml criptografados, que o InvoiCy irá descriptografá-los e enviá-los para a SEFAZ.