Padrão Lexsom_Antigo

 

A informação do Cadastro Mobiliário do Contribuinte no cadastro da empresa é obrigatória.

  1. Natureza da Operação.

O padrão possui as seguintes naturezas de operação (quando não se utiliza a tabela consolidada):

NaturezaOperacao

  1. Exemplo de XML

Clique aqui para visualizar o exemplo de XML para emissão no padrão Lexsom.

Verifique se sua empresa está apta para entrar em produção

Última atualização em: 07 de janeiro, 2015

Antes de realizar o checklist abaixo, é importante o Parceiro realizar a leitura da documentação no Portal, através do link https://desenvolvedores.migrate.com.br/modulo-nfs-e/.

Analisar as particularidades dos padrões que serão utilizados pelos seus clientes:
https://desenvolvedores.migrate.com.br/padroes-nfs-e/

Abaixo segue os testes mínimos necessários para ser considerado apto a iniciar o processo em Produção no módulo NFS-e.

Para emissão normal seguir os passos abaixo:

Cadastrar mais de uma empresa:

– Gerar XML de Envio:
https://desenvolvedores.migrate.com.br/2014/03/27/gerar-xml-de-envio-passoapasso

– Autorizar um documento:
https://desenvolvedores.migrate.com.br/2014/03/25/emitir-uma-nfs-e/

– Realizar a consulta de um documento:
https://desenvolvedores.migrate.com.br/2014/03/25/consultar-uma-nfs-e/

– Cancelar um documento:
https://desenvolvedores.migrate.com.br/2014/03/26/cancelar-uma-nfs-e/

– Testar a emissão com Itens (preencher a tag ListaItens e a tag de Serviço de Maneira adequada)
– Testar a emissão com um Lote (5 RPSs ou mais)
– Seguir o fluxo no processo síncrono e assíncrono

Algumas particularidades deste módulo:

– Padrões que utilizam arquivos, seguir o seguinte procedimento:
https://desenvolvedores.migrate.com.br/2014/03/27/integracao-com-padroes-que-utilizam-arquivos/

– A empresa deve verificar o fluxo atual de seus clientes, e realizar testes de emissão de acordo com o fluxo de cada um de seus clientes.

Exemplos:

– Empresa emite NFS-e com ISS Retido. Deverá testar a emissão de NFS-e com ISS Retido.
– Empresa emite NFS-e sem ISS Retido. Deverá testar a emissão de NFS-e sem ISS Retido.
– Verificar códigos de tributação da empresa no município, e realizar testes utilizando os códigos reais, simulando o dia-a-dia da empresa.
OBS: Essas são regras de negócio que só o parceiro terá conhecimento, e será de sua inteira responsabilidade testá-las e aprová-las em seu ERP.

Verifique se sua empresa está apta para entrar em produção

Última atualização em: 07 de janeiro, 2015

Antes de realizar o checklist abaixo, é importante o Parceiro realizar a leitura da documentação no Portal, através do link https://desenvolvedores.migrate.com.br/modulo-mdf-e/.

Abaixo segue os testes mínimos necessários para o Parceiro ser considerado apto para iniciar o processo em Produção no módulo MDF-e.

Para emissão normal seguir os passos abaixo:

– Autorizar um documento:
https://desenvolvedores.migrate.com.br/2014/04/01/enviando-um-mdf-e-2/

– Encerrar um documento:
https://desenvolvedores.migrate.com.br/2014/07/03/encerrando-um-mdf-e

– Realizar a consulta de um documento:
https://desenvolvedores.migrate.com.br/2014/03/07/consultando-um-documento-nf-e-ou-nfc-e/

– Cancelar um documento:
https://desenvolvedores.migrate.com.br/2014/04/02/cancelando-um-mdf-e-2/

Algumas particularidades deste módulo:

– Incluir um novo condutor para MDF-e já autorizado:
https://testemigrate.wordpress.com/2014/07/03/evento-de-inclusao-de-condutor

– A empresa deve verificar o fluxo atual de seus clientes, e realizar testes de emissão de acordo com o fluxo de cada um de seus clientes.

Exemplos:

– Se o cliente realiza transportes interestaduais entre mais de um Estado, deve testar emissão de MDF-e com informação de Percurso.
– Se o cliente referencia NF-e em seu MDF-e, deve testar a emissão referenciando NF-e.
– Se o cliente referencia CT-e em seu MDF-e, deve testar a emissão referenciando CT-e.
OBS: Essas são regras de negócio que só o parceiro terá conhecimento, e será de sua inteira responsabilidade testá-las e aprová-las em seu ERP.

Verifique se sua empresa está apta para entrar em produção

Última atualização em: 07 de janeiro, 2015

Antes de realizar o checklist abaixo, é importante o Parceiro realizar a leitura da documentação no Portal, através do link https://desenvolvedores.migrate.com.br/modulo-ct-e/.

Abaixo segue os testes mínimos necessários para o Parceiro ser considerado apto para iniciar o processo em Produção no módulo CT-e.

Para emissão normal seguir os passos abaixo:

– Autorizar um documento:
https://testemigrate.wordpress.com/2014/09/16/enviando-um-ct-e

– Inutilizar um documento:
https://desenvolvedores.migrate.com.br/2014/09/16/inutilizar-um-ct-e

– Realizar a consulta de um documento:
https://desenvolvedores.migrate.com.br/2014/03/07/consultando-um-documento-nf-e-ou-nfc-e

– Cancelar um documento:
https://testemigrate.wordpress.com/2014/09/16/cancelando-um-ct-e

– Emitir uma Carta de Correção:
https://testemigrate.wordpress.com/2014/09/16/carta-de-correcao-eletronica-para-ct-e

Para emissão em contingência seguir os passos abaixo:

– Emitir um documento em contingência SVC:
https://testemigrate.wordpress.com/2014/09/16/emissao-de-ct-e-em-contingencia

Algumas particularidades deste módulo:

– A empresa deve verificar o fluxo atual de seus clientes, e realizar testes de emissão de acordo com o fluxo de cada um de seus clientes.

Exemplos:

– Se o cliente emitir com Modal Rodoviário, deve testar emissão de um CT-e utilizando modal Rodoviário.
– Se o cliente utilizar modal Aéreo, deve testar emissão de um CT-e utilizando modal Aéreo.
– Se o cliente referencia NF-e em seus CT-e, deve testar a emissão de CT-e com referência de NF-e.
OBS: Essas são regras de negócio que só o parceiro terá conhecimento, e será de sua inteira responsabilidade testá-las e aprová-las em seu ERP.

Verifique se sua empresa está apta para entrar em produção

Última atualização em: 07 de janeiro, 2015

Antes de realizar o checklist abaixo, é importante o Parceiro realizar a leitura da documentação no Portal, através do link https://desenvolvedores.migrate.com.br/modulo-nf-e/.

Abaixo segue os testes mínimos necessários para o Parceiro ser considerado apto para iniciar o processo em Produção no módulo NF-e.

Para emissão normal seguir os passos abaixo:

– Autorizar um documento:
https://desenvolvedores.migrate.com.br/2013/10/22/envio-de-nf-e-nfc-e/

– Inutilizar um documento:
https://desenvolvedores.migrate.com.br/2014/03/07/inutilizando-uma-nf-e-ou-nfc-e

– Realizar a consulta de um documento:
https://desenvolvedores.migrate.com.br/2014/03/07/consultando-um-documento-nf-e-ou-nfc-e/

– Cancelar um documento:
https://desenvolvedores.migrate.com.br/2014/03/07/cancelando-uma-nf-e-ou-nfc-e

– Emitir uma Carta de Correção:
https://desenvolvedores.migrate.com.br/2014/03/07/carta-de-correcao-eletronica-cc-e-2

Para emissão em contingência seguir os passos abaixo:

– Emitir um documento em contingência SVC:
https://desenvolvedores.migrate.com.br/2014/03/07/emissao-em-contingencia

– Emitir um documento em contingência EPEC:
https://desenvolvedores.migrate.com.br/2014/03/07/emissao-em-contingencia

Algumas particularidades deste módulo:

– A empresa deve verificar o fluxo atual de seus clientes, e realizar testes de emissão de acordo com o fluxo de cada um de seus clientes.

Exemplos:

– Se determinado cliente é do simples nacional, deverá testar emissão de notas com CST do Simples Nacional.
– Se cliente é do Regime Normal, deverá testar emissão de notas com CST do Regime Normal.
– Se cliente usa informação de transportador, deve testar a emissão informando o grupo do transportador.
– Se cliente vende medicamentos, deve testar emissão de documentos com tipo de produto = medicamento.
OBS: Essas são regras de negócio que só o parceiro terá conhecimento, e será de sua inteira responsabilidade testá-las e aprová-las em seu ERP.