Padrão NF Eletrônica 2.0

O Padrão NF Eletrônica 2.0 é do tipo TXT, não disponibilizando de Web Services para emissão, consulta e cancelamento de NFS-e, fazendo-se necessário a geração de arquivos para upload no sistema web da prefeitura. Abaixo estão detalhadas as particularidades deste padrão:

1. Número e Série Única do RPS

O padrão NF Eletrônica 2.0 é no formato de série única, ou seja, não é possível repetir o uso de um número para o RPS, porém não é necessário que o mesmo seja sequencial. Por isso sugere-se que o usuário utilize sempre a mesma série de RPS para que não haja problemas com a numeração do RPS ao se tentar importar do sistema web da prefeitura.

2. Local da Prestação do Serviço

No Padrão NF Eletrônica 2.0 é obrigatório que se informe o Local da Prestação do Serviço, para isso deve-se utilizar como modelo os valores da tabela abaixo:

localprestacaoservico

Obs: A coluna “Código InvoiCy” refere-se ao valor que se deve informar no layout de integração com a plataforma InvoiCy e a coluna “Valor enviado à prefeitura” refere-se ao valor que é escrito no arquivo de upload de acordo com as regras da prefeitura.

 3. O sistema não permite:

  • Inutilização da Nota;
  • Substituição de RPS
  • Não dispõe de ambiente de homologação;
  • Cancelamento de NFS-e via Web Services;
  • Enviar RPS sem informações de Tomador;
  • Intermediário de Serviço

4. Tomador do Serviço

De acordo com o manual disponibilizado pela empresa desenvolvedora deste padrão, é possível emitir RPS sem informação de CPF/CNPJ de Tomador e também RPS de Tomador Estrangeiro, no entanto deve-se atentar para algumas regras:

  • Tomador Estrangeiro não deverá ter CPF/CNPJ informados, bem como o País do mesmo deverá ser diferente de “BR” (Brasil), nesse caso ainda será necessário informar os demais dados do mesmo. Nessa situação no espaço destinado à CPF/CNPJ do Tomador será escrito “EXT”, tanto na linha de Tomador quando na linha de RPS.
  • No caso de enviar um RPS sem CPF/CNPJ de um tomador brasileiro, mesmo assim deve-se informar os demais dados do mesmo. Nessa situação no espaço destinado à CPF/CNPJ do Tomador será escrito “SEM”, tanto na linha de Tomador quando na linha de RPS.

5. Tipo de Dedução

Usado somente em casos onde o Contribuinte se enquadra no Modelo Completo para o Código de Serviço (verificar diretamente com a prefeitura se o contribuinte se enquadra ou não).

Deve-se utilizar os valores de acordo com a tabela abaixo:

tipodeducao

6. Forma de Pagamento:

Deve-se utilizar os seguintes códigos para informar a forma de pagamento do serviço:

tipopagamento

7. Importação do RPS

Após o arquivo TXT ser gerado pela plataforma InvoiCy, deve-se realizar o upload do mesmo no sistema web disponibilizado pela prefeitura.

Após o contribuinte ter acessado o sistema Web NF Eletrônica, deve-se clicar no Menu “Importação, como mostra a imagem abaixo:

img1

O mesmo será redirecionado para a página de “Importação de Tomadores e Notas Fiscais”. Nesta página, ele deverá clicar no botão “Escolher arquivo” a fim de selecionar o arquivo que deseja importar, após esta ação, o mesmo deverá clicar no botão “Criticar”, esse botão dispara o processo de validação e verificação da estrutura do arquivo e também se as informações presentes no mesmo são válidas. A imagem abaixo apresenta a tela e os botões que devem ser utilizados.

img2

Caso exista algum problema no arquivo, tanto por parte de erro na estrutura ou informações inválidas, o sistema exibe em tela a mensagem “ARQUIVO DE IMPORTAÇÃO INVÁLIDO” e os problemas encontrados serão exibidos em uma grid, assim como mostra a imagem abaixo.

img3

Caso o arquivo a ser importado não tenha nenhum problema, o sistema apresenta em tela a mensagem “ARQUIVO DE IMPORTAÇÃO OK!” e abaixo da mesmo habilita um botão “Importa?”, o qual deverá ser pressionado a fim de confirmar a importação. Assim como mostra a imagem abaixo.

img4

Obs: Lembrando que não existe ambiente de homologação, por isso ao se realizar testes deve-se tomar cuidado nessa etapa, pois todas as NFS-e importadas serão em PRODUÇÃO.

8. Importação do Retorno

Como este padrão não tem suporte à Web Services, é necessário exportar um arquivo TXT do sistema da prefeitura contendo as informações das NFS-e emitidas e que se deseja importar o retorno das mesmas.

Para realizar a exportação do arquivo TXT, é necessário, após acessar o ambiente do contribuinte no sistema web da prefeitura, acessar o menu “Consulta”, como mostra a imagem abaixo, onde após essa ação o contribuinte será redirecionado para a página de Consulta de NFS-e.

img5

Nesta página está disponível diversos campos de filtros, após aplicar os filtros desejados, deve-se pressionar o botão “NF-Eletrônicas Emitidas”, como mostra a imagem abaixo:

img7

Após essa ação, todas as NFS-e emitidas no período que compete aos filtros aplicados aparecerão em uma grid de dados. Para exportar o arquivo de retorno a ser importado na plataforma InvoiCy, o campo “Formato” deve estar selecionado como “TXT” e após pressionar o botão “Exportar”, assim como apresenta a imagem abaixo:

img6

9. Código do Item da Lista de Serviço

Códigos do Item da Lista de Serviço podem ou não conter pontuação, no entanto, o usuário deverá sempre utilizar apenas os Códigos que lhe estão atribuídos em seu cadastro junto à prefeitura, disponíveis para consulta no sistema web de NFS-e.

Para acessar um exemplo de XML enviado ao InvoiCy BR, clique aqui.

Padrão NF Eletrônica 2.0 – Antigo

 

O Padrão NF Eletrônica 2.0 é do tipo TXT, não disponibilizando de Web Services para emissão, consulta e cancelamento de NFS-e, fazendo-se necessário a geração de arquivos para upload no sistema web da prefeitura. Abaixo estão detalhadas as particularidades deste padrão:

1. Número e Série Única do RPS

O padrão NF Eletrônica 2.0 é no formato de série única, ou seja, não é possível repetir o uso de um número para o RPS, porém não é necessário que o mesmo seja sequencial. Por isso sugere-se que o usuário utilize sempre a mesma série de RPS para que não haja problemas com a numeração do RPS ao se tentar importar do sistema web da prefeitura.

2. Local da Prestação do Serviço

No Padrão NF Eletrônica 2.0 é obrigatório que se informe o Local da Prestação do Serviço, para isso deve-se utilizar como modelo os valores da tabela abaixo:

localprestacaoservico

Obs: A coluna “Código InvoiCy” refere-se ao valor que se deve informar no layout de integração com a plataforma InvoiCy e a coluna “Valor enviado à prefeitura” refere-se ao valor que é escrito no arquivo de upload de acordo com as regras da prefeitura.

 3. O sistema não permite:

  • Inutilização da Nota;
  • Substituição de RPS
  • Não dispõe de ambiente de homologação;
  • Cancelamento de NFS-e via Web Services;
  • Enviar RPS sem informações de Tomador;
  • Intermediário de Serviço;

4. Tomador do Serviço

De acordo com o manual disponibilizado pela empresa desenvolvedora deste padrão, é possível emitir RPS sem informação de CPF/CNPJ de Tomador e também RPS de Tomador Estrangeiro, no entanto deve-se atentar para algumas regras:

  • Tomador Estrangeiro não deverá ter CPF/CNPJ informados, bem como o País do mesmo deverá ser diferente de “BR” (Brasil), nesse caso ainda será necessário informar os demais dados do mesmo. Nessa situação no espaço destinado à CPF/CNPJ do Tomador será escrito “EXT”, tanto na linha de Tomador quando na linha de RPS.
  • No caso de enviar um RPS sem CPF/CNPJ de um tomador brasileiro, mesmo assim deve-se informar os demais dados do mesmo. Nessa situação no espaço destinado à CPF/CNPJ do Tomador será escrito “SEM”, tanto na linha de Tomador quando na linha de RPS.

5. Tipo de Dedução

Usado somente em casos onde o Contribuinte se enquadra no Modelo Completo para o Código de Serviço (verificar diretamente com a prefeitura se o contribuinte se enquadra ou não).

Deve-se utilizar os valores de acordo com a tabela abaixo:

tipodeducao

6. Forma de Pagamento:

Deve-se utilizar os seguintes códigos para informar a forma de pagamento do serviço:

tipopagamento

7. Importação do RPS

Após o arquivo TXT ser gerado pela plataforma InvoiCy, deve-se realizar o upload do mesmo no sistema web disponibilizado pela prefeitura.

Após o contribuinte ter acessado o sistema Web NF Eletrônica, deve-se clicar no Menu “Importação, como mostra a imagem abaixo:

img1

O mesmo será redirecionado para a página de “Importação de Tomadores e Notas Fiscais”.

Nesta página, ele deverá clicar no botão “Escolher arquivo” a fim de selecionar o arquivo que deseja importar, após esta ação, o mesmo deverá clicar no botão “Criticar”, esse botão dispara o processo de validação e verificação da estrutura do arquivo e também se as informações presentes no mesmo são válidas. A imagem abaixo apresenta a tela e os botões que devem ser utilizados.

img2

Caso exista algum problema no arquivo, tanto por parte de erro na estrutura ou informações inválidas, o sistema exibe em tela a mensagem “ARQUIVO DE IMPORTAÇÃO INVÁLIDO” e os problemas encontrados serão exibidos em uma grid, assim como mostra a imagem abaixo.

img3

Caso o arquivo a ser importado não tenha nenhum problema, o sistema apresenta em tela a mensagem “ARQUIVO DE IMPORTAÇÃO OK!” e abaixo da mesmo habilita um botão “Importa?”, o qual deverá ser pressionado a fim de confirmar a importação. Assim como mostra a imagem abaixo.

img4

Obs: Lembrando que não existe ambiente de homologação, por isso ao se realizar testes deve-se tomar cuidado nessa etapa, pois todas as NFS-e importadas serão em PRODUÇÃO.

8. Importação do Retorno

Como este padrão não tem suporte à Web Services, é necessário exportar um arquivo TXT do sistema da prefeitura contendo as informações das NFS-e emitidas e que se deseja importar o retorno das mesmas.

Para realizar a exportação do arquivo TXT, é necessário, após acessar o ambiente do contribuinte no sistema web da prefeitura, acessar o menu “Consulta”, como mostra a imagem abaixo, onde após essa ação o contribuinte será redirecionado para a página de Consulta de NFS-e.

img5

Nesta página está disponível diversos campos de filtros, após aplicar os filtros desejados, deve-se pressionar o botão “NF-Eletrônicas Emitidas”, como mostra a imagem abaixo:

img7

Após essa ação, todas as NFS-e emitidas no período que compete aos filtros aplicados aparecerão em uma grid de dados. Para exportar o arquivo de retorno a ser importado na plataforma InvoiCy, o campo “Formato” deve estar selecionado como “TXT” e após pressionar o botão “Exportar”, assim como apresenta a imagem abaixo:

img6

9. Código do Item da Lista de Serviço

Códigos do Item da Lista de Serviço podem ou não conter pontuação, no entanto, o usuário deverá sempre utilizar apenas os Códigos que lhe estão atribuídos em seu cadastro junto à prefeitura, disponíveis para consulta no sistema web de NFS-e.

Veja um exemplo de XML enviado ao InvoiCy NFS-e, clicando aqui.

Padrão SysISS

 

O Padrão SysISS segue o modelo padronizado ABRASF. Segue abaixo suas particularidades:

1. Recibo Provisório de Serviços

  • Obrigatoriedade do número do lote e do RPS ser sequencial;

2. O sistema não permite:

Gerar link de Impressão da NFS-e no modelo da prefeitura.

3. Cancelamento

  • Cancelamento de NFS-e pelo não pagamento dos serviços prestados: O fato gerador do ISS é a prestação do serviço. Caso tenha sido emitida uma NFS-e para um serviço efetivamente prestado, o ISS será devido e não será possível seu cancelamento simplesmente pelo motivo do mesmo não ter sido pago pelo tomador.
  • Cancelamento de NFS-e se não houver devolução do pagamento antecipado, sinal ou adiantamento: Caso a NFS-e tenha sido emitida em decorrência de o prestador ter recebido adiantamento, sinal ou pagamento antecipado, mas o serviço não tenha sido prestado, a NFS-e somente poderá ser cancelada se efetivamente ocorrer a devolução do valor ao tomador de serviços.
  • Cancelamento de NFS-e com ISS pago. Caso o ISS referente à NFS-e estiver pago não será possível seu cancelamento.

 4. Tomador do exterior

  • Não informar apenas o CPF ou CNPJ;
  • O campo de Exigibilidade ISS deve ser informado 4, conforme layout (Exportação);
  • Informar obrigatoriamente o campo CEP;
  • Não informar o Brasil como país de prestação de serviço.

5. Código CNAE

  • O código CNAE segue a regras legislativas do município, sendo informado apenas quando o município possuir em sua legislação a permissão para tal.

6. Natureza da Operação:

O campo de natureza da operação deverá seguir o padrão ABRASF:

natop

7. Regime Especial de Tributação

Conforme o padrão ABRASF seguem os seguintes valores para o campo de Regime Especial de Tributação:

tributacao

8. Alíquota

A alíquota do ISS será informada automaticamente baseada no serviço selecionado e definida pela administração tributária e não poderá ser alterada pelo prestador quando:

  • Exigibilidade do ISS for exigível ou Exigibilidade Suspensa por Decisão Judicial ou Exigibilidade
  • Suspensa por Processo Administrativo;
  • O Tipo de Tributação do ISS do Prestador for homologado;

A alíquota será informada pelo prestador de serviços quando:

  • A Exigibilidade do ISS for exigível ou Exigibilidade Suspensa por Decisão Judicial ou Exigibilidade
  • Suspensa por Processo Administrativo;
  • O município da prestação do serviço for diferente do município do prestador;
  • Houver retenção de ISS;
  • Prestador não estiver enquadrado como MEI – Microempreendedor Individual.

A alíquota do ISS será automaticamente zerada e não poderá ser alterada pelo prestador quando:

  • A Exigibilidade do ISS for Não Incidência, Isenção, Exportação ou Imunidade;
  • O prestador estiver enquadrado como MEI – Microempreendedor Individual, independentemente de qualquer condição;
  • O prestador for optante pelo Simples Nacional e não tiver o ISS retido pelo tomador;
  • A Exigibilidade do ISS for exigível ou Exigibilidade Suspensa por Decisão Judicial ou Exigibilidade
  • Suspensa por Processo Administrativo e o Tipo de Tributação do ISS do Prestador for Estimativa ou Fixo.

 9. Exemplo XML

Clique aqui, para visualizar um exemplo de XML de envio.

Padrão SysISS – Antigo

 

O Padrão SysISS segue o modelo padronizado ABRASF. Segue abaixo suas particularidades:

1. Recibo Provisório de Serviços

  • Obrigatoriedade do número do lote e do RPS ser sequencial;

2. O sistema não permite:

  • Gerar link de Impressão da NFS-e no modelo da prefeitura.

3. Cancelamento

  • Cancelamento de NFS-e pelo não pagamento dos serviços prestados: O fato gerador do ISS é a prestação do serviço. Caso tenha sido emitida uma NFS-e para um serviço efetivamente prestado, o ISS será devido e não será possível seu cancelamento simplesmente pelo motivo do mesmo não ter sido pago pelo tomador.
  • Cancelamento de NFS-e se não houver devolução do pagamento antecipado, sinal ou adiantamento: Caso a NFS-e tenha sido emitida em decorrência de o prestador ter recebido adiantamento, sinal ou pagamento antecipado, mas o serviço não tenha sido prestado, a NFS-e somente poderá ser cancelada se efetivamente ocorrer a devolução do valor ao tomador de serviços.
  • Cancelamento de NFS-e com ISS pago. Caso o ISS referente à NFS-e estiver pago não será possível seu cancelamento.

 4. Tomador do exterior

  • Não informar apenas o CPF ou CNPJ;
  • O campo de Exigibilidade ISS deve ser informado 4, conforme layout (Exportação);
  • Informar obrigatoriamente o campo CEP;
  • Não informar o Brasil como país de prestação de serviço.

5. Código CNAE

  • O código CNAE segue a regras legislativas do município, sendo informado apenas quando o município possuir em sua legislação a permissão para tal.

6. Natureza da Operação:

O campo de natureza da operação deverá seguir o padrão ABRASF:

natop

7. Regime Especial de Tributação

Conforme o padrão ABRASF seguem os seguintes valores para o campo de Regime Especial de Tributação:

tributaccao

8. Alíquota

A alíquota do ISS será informada automaticamente baseada no serviço selecionado e definida pela administração tributária e não poderá ser alterada pelo prestador quando:

  • Exigibilidade do ISS for exigível ou Exigibilidade Suspensa por Decisão Judicial ou Exigibilidade
  • Suspensa por Processo Administrativo;
  • O Tipo de Tributação do ISS do Prestador for homologado;

A alíquota será informada pelo prestador de serviços quando:

  • A Exigibilidade do ISS for exigível ou Exigibilidade Suspensa por Decisão Judicial ou Exigibilidade
  • Suspensa por Processo Administrativo;
  • O município da prestação do serviço for diferente do município do prestador;
  • Houver retenção de ISS;
  • Prestador não estiver enquadrado como MEI – Microempreendedor Individual.

A alíquota do ISS será automaticamente zerada e não poderá ser alterada pelo prestador quando:

  • A Exigibilidade do ISS for Não Incidência, Isenção, Exportação ou Imunidade;
  • O prestador estiver enquadrado como MEI – Microempreendedor Individual, independentemente de qualquer condição;
  • O prestador for optante pelo Simples Nacional e não tiver o ISS retido pelo tomador;
  • A Exigibilidade do ISS for exigível ou Exigibilidade Suspensa por Decisão Judicial ou Exigibilidade
  • Suspensa por Processo Administrativo e o Tipo de Tributação do ISS do Prestador for Estimativa ou Fixo.

9. Exemplo XML

Veja um exemplo de XML de envio, clicando aqui.

Release Notes – Versão 3.0.0.11

Versão 3.0.0.11 – 12/09/2016

 

Emissão com Certificado Digital A1 ou A3

A partir dessa versão o InvoiCy Conector permite ao emissor optar por emitir seus documentos utilizando o certificado digital A1 ou A3. Para mais informações sobre o processo de emissão com Certificado Digital A3 leia o artigo ‘Configurações de Assinatura‘.

Exibir informações do conector

Para os clientes que integram via InvoiCy Conector, a partir de agora ao enviar um documento será possível consultar na Plataforma InvoiCy algumas informações enviadas pelo Conector, como o IP e nome da máquina que enviou o documento, data do último documento emitido, versão do Conector, entre outras informações.

Para isso basta acessar o Painel de Controle na Plataforma InvoiCy, grupo Empresa – Conector. Na tela serão listadas as principais informações enviadas pelo InvoiCy Conector, como demonstra a imagem abaixo. Se o emissor realiza emissões com o InvoiCy Conector em mais de uma máquina irá aparecer as informações de cada máquina em específico, de acordo com a instância configurada.

 

Ao clicar no link ‘Mais detalhes’ serão exibidos informações mais detalhadas, como o diretório de entrada configurado e a versão do InvoiCy Conector que o emissor está utilizando.

Controlar atualização automática do conector

A partir dessa versão a Plataforma InvoiCy será responsável por controlar automaticamente a atualização do InvoiCy Conector, onde a mesma acontecerá de forma transparente ao usuário, com o mínimo de impacto no seu fluxo de emissão.

Configurar forma de leitura e envio dos documentos

É possível também configurar a forma de leitura e envio dos documentos, onde pode-se definir a forma como o Conector irá efetuar a leitura dos arquivos do diretório de entrada e enviar ao InvoiCy. O modo de envio pode ser ‘Paralelo’ ou ‘Sequencial’. Para mais informações sobre esse processo leia o artigo ‘Configurações de Conexão‘.