Cancelamento de NFC-e por substituição

Última atualização em: 20 de março, 2019

Com a implementação da Nota Técnica 2018.004, torna-se possível a emissão do novo evento de cancelamento por substituição (EveTp = 110112) para NFC-e. Esse evento assemelha-se muito com o evento de cancelamento normal, sendo que o atual evento não sofreu nenhum impacto.

O emissor poderá solicitar o cancelamento de uma NFC-e, desde que seja emitida outra NFC-e em contingência para substituir essa primeira operação, respeitando o prazo máximo de 168 horas, o que pode variar para cada UF.

Na imagem abaixo demonstramos a estrutura desse novo evento. No campo ChaAcessoSubstituta, deve ser informada a chave de acesso do documento substituto, que deverá ser emitido com tpEmis 9, para não ocasionar rejeição do evento.

Para mais informações baixe nosso layout em Excel de envio de eventos, ou ainda um exemplo XML do envio do evento.

O processo de descarte de documentos do InvoiCy também foi adequado para emitir nesse novo evento 110112. Na sequência detalhamos algumas mudanças e particularidades. Para entender melhor o processo de descarte leia o artigo Descarte de documentos.

Para quem utiliza o layout de descarte por substituição, foram criados três campos novos, sendo eles: CNPJ_emit, nNFSubstituta, serieSubstituta.

Agora, ao enviar o descarte deve-se informar no campo nNFSubstituta e serieSubstituta, o número e série do documento que irá substituir o documento descartado. Veja na imagem abaixo o novo layout de integração.

Destacando que a nota substituída deve ser emitida com tpEmis 1, e a nota substituta deve ser enviada com tpEmis 9, caso contrário o evento será rejeitado. Para clientes que fazem uso desse layout de descarte, o InvoiCy irá tratar automaticamente o tpEmis da nota substituta.

O layout de descarte avulso, também conta com novos campos, sendo eles: NumeroSubstituta, SerieSubstituta, onde deve-se informar o número e série do documento substituto.

É importante destacar que a nota substituída deve estar emitida com tpEmis 1, e a nota substituta sempre deve ser enviada com tpEmis 9, caso contrário o evento será rejeitado. É de responsabilidade dos emissores que fazem uso desse layout controlar o tpEmis da nota substituta.

As principais validações da SEFAZ sobre o envio deste novo evento são:

– A nota substituída deve ser emitida com tpEmis 1, e a nota substituta deve ter tpEmis 9, caso contrário resultará na rejeição: 920 – Tipo de Emissão inválido no Cancelamento por Substituição;

– A data de emissão da nota substituta não pode ser maior que 2 horas da data de emissão da nota que será descartada/cancelada, ou resultará na rejeição: 915 – Data de emissão da NF-e Substituta maior que 2 horas da data de emissão da NFe a ser cancelada;

– A nota substituta sempre deve estar com status Autorizado, caso contrário o evento de cancelamento não será enviado, e resultará na rejeição: 913 – NF-e Substituta Denegada ou Cancelada.

Simulação em contingência Offline – InvoiCy Conector

Última atualização em: 30 de novembro, 2018

Olá! Neste artigo abordaremos como realizar testes de emissão em contingência de NFC-e no modo offline, via InvoiCy Conector.

Inicialmente, vale destacar que esta contingência só será permitida quando a SEFAZ estiver offline, ou quando houver algum problema de comunicação entre InvoiCy e SEFAZ. Caso o estabelecimento do emissor estiver sem comunicação com o InvoiCy, seja por indisponibilidade de internet ou qualquer outro problema técnico, a contingência offline não será permitida. Para que esta modalidade de emissão funcione, é necessário ao menos que o emissor tenha uma conexão de internet com o InvoiCy.

Vale lembrar também, que para o Estado de São Paulo, a contingência offline é proibida por lei.

1 – Realizando testes de simulação em contingência

Para realizarmos os testes, será necessário seguir alguns passos, conforme descrito abaixo.

– Acessar o Painel de Controle do InvoiCy, menu Configurações para Emissão (Módulo NFC-e):

– Na tela de configurações, selecionar a primeira opção de contingência como “offline”, e marcar o campo Ativar simulação de contingência como “SIM”. Salve ao final da página.

– Com o InvoiCy operando em simulação de contingência, já pode ser realizado o envio de uma NFC-e via Conector. Para tal, gere uma NFC-e qualquer e envie o documento ao InvoiCy.

Este documento, deve receber o status 108 – Entrada em contingência sem retorno da SEFAZ.

Neste momento, este primeiro documento será o identificador de que algo de errado aconteceu na comunicação entre InvoiCy e SEFAZ, e a partir das próximas notas emitidas, todas serão emitidas em contingência offline.

Esta nota fiscal que obteve retorno 108, pode tanto ter autorizado na SEFAZ, como simplesmente não ter chegado até lá. Não sabemos o que ocorreu, sabemos apenas que houve algum erro na sua emissão, e não podemos consultá-la, pois o serviço da SEFAZ está inoperante. Esta nota deverá então ser descartada, e uma próxima nota deve ser emitida em seu lugar, com um novo número.

– Após receber o status 108, o procedimento correto é gerar novamente a mesma nota fiscal, porém com o número incrementado em +1. Por exemplo, se a nota emitida que recebeu 108 fosse a nota de número 50, ela deve ser gerada novamente com o número 51, e ser enviada. Esta nota com número 51, será então autorizada em modo offline, e sua aplicação irá receber o retorno 109 – Contingência Offline, com o documento PDF para impressão.

Paralelo à isso, deve ser enviado o pedido de descarte da nota número 50, que recebeu status 108. Para tal, gere a estrutura XML abaixo no diretório de entrada do Conector:

O processamento deste arquivo, irá lhe retornar status 100 – Solicitação de descarte de documento recebido. O InvoiCy agendará então o processamento de descarte do documento 50, e assim que a SEFAZ voltar a operar, providenciará o descarte.

– Todas as próximas notas serão emitidas de forma offline e receberão status 109, até que seja desativada a simulação de contingência nas configurações para emissão do Painel de Controle. Uma vez desativada a simulação, o InvoiCy entende que a SEFAZ voltou a operar, e as próximas notas enviadas após a desativação da simulação, serão emitidas no fluxo normal.

– Após desativação da simulação em contingência, o InvoiCy irá reenviar as notas emitidas em contingência offline, e fará a sincronização destes documentos. Eles ficarão autorizados no InvoiCy. Já o documento inicial, aquele primeiro que recebeu status 108 e que teve pedido de descarte, será consultado pelo InvoiCy para identificar se o mesmo foi autorizado, ou se não consta na base de dados da SEFAZ. Caso o documento foi autorizado, ele será automaticamente cancelado pelo InvoiCy. Se não constar na base da SEFAZ, o documento será inutilizado.

Em caso de dúvidas, contate nossa central de atendimento através do e-mail atendimento@migrate.com.br.

 

Comunicação de uso de Software para emissão de NFC-e no Pará

Última atualização em: 09 de abril, 2018

A Secretaria da Fazenda do Pará, Sefa, passou a exigir que os emissores de NFC-e informem o fornecedor do software utilizado para a emissão de seus documentos. Essa medida foi regulamentada pela Instrução Normativa de nº 06/2018.

A partir do dia 1º de abril de 2018 os fornecedores deverão realizar o seu cadastro, com prazo até junho de 2018. Após esse período poderá acarretar em cobrança de multa.

Para credenciamento:

O Contribuinte deve efetuar seu cadastro junto ao site da Sefa (www.sefa.pa.gov.br), e informar qual dos softwares cadastrados junto ao fisco está sendo utilizado para efetuar a emissão de NFC-e.

1) Acessar o Portal da SEFAZ, em https://app.sefa.pa.gov.br, e clicar na opção TODOS OS SERVIÇOS, conforme na imagem abaixo:

2) Para efetuar o cadastro do contribuinte clique no link correspondente, conforme imagem abaixo:

3) Na tela de login, deve-se informar o certificado digital da sua empresa, através da opção ‘Selecionar certificado’. Após selecionar o certificado clique no botão ‘Entrar’.

Observação: Ao carregar o certificado digital, caso você não tiver a extensão ‘ICPBravo Access’ instalada irá aparecer uma mensagem de aviso, conforme a imagem abaixo, informando que você deverá instalar a mesma no seu navegador. A instalação é bem simples, basta clicar no link da mensagem, baixar a extensão e seguir o passo a passo para concluir a instalação.

4) Na área do contribuinte, pode-se efetuar o cadastro do software utilizado, e ainda consultar pelos softwares já cadastrados.

5) Ao informar um software, deverá informar o CNPJ do seu fornecedor de software, e ao concluir clicar em Salvar.

6) Pronto! Seu software foi cadastrado com sucesso.

Cadastro de fornecedor para emissão de NFC-e no Pará

Última atualização em: 09 de abril, 2018

A Secretaria da Fazenda do Pará, Sefa, passou a exigir que os emissores de NFC-e informem o fornecedor do software utilizado para a emissão de seus documentos. Essa medida foi regulamentada pela Instrução Normativa de nº 06/2018.

A partir do dia 1º de abril de 2018 os fornecedores deverão realizar o seu cadastro, com prazo até junho de 2018. Após esse período poderá acarretar em cobrança de multa.

Para credenciamento:

O Fornecedor (desenvolvedor do sistema) deve efetuar o cadastro de seus produtos junto ao site da Sefa (www.sefa.pa.gov.br), para que os emissores possam informar qual dos softwares cadastrados junto ao fisco será utilizado para efetuar a emissão de NFC-e.

1) Acessar o Portal da SEFAZ, em https://app.sefa.pa.gov.br, e clicar na opção TODOS OS SERVIÇOS, conforme na imagem abaixo:

2) Para efetuar o cadastro de Software NFC-e Fornecedor clique no link correspondente, conforme imagem abaixo:

3) Na tela de login, deve-se informar o certificado digital da sua empresa, através da opção ‘Selecionar certificado’. Após selecionar o certificado clique no botão ‘Entrar’.

Observação: Ao carregar o certificado digital, caso você não tiver a extensão ‘ICPBravo Access’ instalada irá aparecer uma mensagem de aviso, conforme a imagem abaixo, informando que você deverá instalar a mesma no seu navegador. A instalação é bem simples, basta clicar no link da mensagem, baixar a extensão e seguir o passo a passo para concluir a instalação.

4) Será apresentada uma etapa para complementar e validar as informações do fornecedor, conforme imagem abaixo. Ao concluir clique em Avançar.

5) Na sequência será enviada uma chave de acesso para o e-mail informado. Para prosseguir com o cadastro deve-se então informar essa chave de acesso. Informe a chave, clique em ‘CONFIRMAR’ e após em ‘AVANÇAR’.

6) Na sequência será habilitada a etapa para você informar os dados do software, onde deverá informar a descrição do software e clicar em ‘ADICIONAR’. Abaixo serão listados todos os softwares cadastrados, permitindo a remoção dos mesmos quando necessário.

7) Após informar o software, deve-se aceitar os termos de uso do sistema, selecionando a opção ‘Li e aceito os termos’, e então clicar em ‘SALVAR’.

8) Aparecerá então uma mensagem de confirmação solicitando se você deseja mesmo salvar as informações. Pronto! Seu software foi cadastrado com sucesso.

Tela de licenciamento de PDV/SAT

Última atualização em: 08 de agosto, 2017

 

A tela de licenciamento de PDV/SAT sofreu alguns ajustes para facilitar o acompanhamento das cobranças mensais por parte dos usuários Parceiros.

Para acessar a nova tela vá até o Painel de Controle, e no grupo Empresas clique na opção ‘Módulos contratados’, como demonstra a imagem a seguir.

Estando na tela de módulos contratados, clique no ícone do ‘olho’ para acessar a tela de PDV/SAT, como demonstra a imagem abaixo.

A imagem abaixo demonstra a estrutura da nova tela de licenciamento de PDV/SAT.

Através da nova tela, será possível acompanhar o volume das emissões diárias dos documentos NFC-e e CF-e SAT para cada dia do mês, bem como os PDVs que serão cobrados ou não no mês.

O usuário poderá fazer pesquisas aplicando filtros pelo modelo do documento, período mensal do ano, e ainda informando uma série específica.

Se o modelo utilizado pela empresa for bilhetagem, a quantidade de PDVs não impactará na cobrança e sim qualquer emissão de NFC-e/SAT ou eventos computará a cobrança do mês.

Já se o modelo utilizado for manutenção mensal, temos controles por MAC da placa de rede do PDV (somente NFC-e) ou controle por série do documento (para NFC-e /SAT). A cada novo MAC ou nova série dos documentos emitidos no mês, gerará um novo PDV. Este novo PDV poderá ser ou não cobrado, dependendo da situação.

Por exemplo: a necessidade de substituição do PDV por outro, o PDV antigo não terá mais emissões no mês, caracterizando que houve uma manutenção do PDV. Então não será cobrado o PDV antigo, somente o PDV atual.

Para a identificação destas situações, foram incluídos novos controles e a nova tela de Licenciamento de PDV/SAT.

É importante destacar que emissões de testes em ambiente de produção poderão ser cobradas, pois os testes devem ser realizados em ambiente de homologação. Caso ocorram algumas emissões iniciais de testes em ambiente de produção, entende-se que o PDV foi ativado e (após os testes) seguirá emitindo as vendas do estabelecimento, portanto caracteriza como um PDV utilizado no mês.

 

Forçar contingência offline para NFC-e

Última atualização em: 26 de outubro, 2016

Pensando em amenizar as situações de instabilidade dos serviços da SEFAZ, a Plataforma InvoiCy disponibiliza de uma nova tela que possibilita ao usuário administrador forçar a entrada em contingência para documentos do tipo NFC-e, configurando quais empresas serão forçadas a entrar em contingência, onde será retornado um código específico para que a DLL Daruma entre em contingência Offline.

As condições para a entrada em contingência são as seguintes:

– Para envio de eventos e inutilizações irá forçar a entrada em contingência de forma automática, independente de estar configurado na tela as empresas que irão emitir em contingência offline forçada. Sempre que a SEFAZ retornar para o InvoiCy o status “Consumo indevido”, e a versão da DLL Daruma for compatível com a versão configurada nos parâmetros do InvoiCy, irá retornar o código 111 para a DLL Daruma, forçando a mesma a emitir em contingência Offline.

– No envio de documentos irá retornar o código 111 apenas para as empresas que estiverem configuradas na tela, que deverão emitir em contingência offline forçada, e se a versão da DLL Daruma for compatível com a versão configurada nos parâmetros do InvoiCy.

Para acessar a nova tela vá até o Painel de Controle – Módulo NFC-e – Contingência Offline.

Ao abrir a tela, na grid já irá listar as empresas que estão configuradas para emitir em contingência offline forçada. A tela dispõe ainda da aplicação de filtros para pesquisar pelos registros da grid.

Pode-se também excluir as empresas uma a uma, através da opção da grid, ou excluir todas através do botão ‘Excluir todas’. Para efetuar a configuração das empresas basta clicar no botão ‘Novo’.

Na tela a seguir é possível configurar para forçar a contingência offline para apenas uma empresa em específico, onde no ‘Tipo’ deve-se selecionar a opção CNPJ e informar o CNPJ da empresa desejada.

Pode-se também escolher apenas uma série em específico para a empresa, onde deve-se informar o CNPJ da empresa e a série desejada.

A configuração também pode ser feita pela chave de parceiro, onde no ‘Tipo’ deve-se selecionar a opção Chave de Parceiro, e informar a chave de parceiro desejada. Assim todas as empresas que possuem a chave de parceiro informada terão a contingência offline forçada.

E por fim pode-se escolher ainda por UF do emissor, selecionando a UF desejada. Assim todas as empresas pertencentes a UF configurada terão a contingência offline forçada.

É importante destacar que o acesso a essa tela é apenas para usuário do tipo Administrador.

Simular timeout na comunicação

Última atualização em: 06 de maio, 2016

 

É disponibilizada na tela de configurações para emissão do Módulo NFC-e uma opção para que você usuário possa simular o time out da sua aplicação no momento de comunicar com o Web Service.

Basta acessar o Painel de Controle – Configurações para emissão no módulo NFC-e, e ao configurar o campo ‘Simular timeout de emissão’ como Sim aparecerá o campo ‘Tempo (s)’ em tela, para configurar o tempo de espera para o envio. Por padrão esse campo virá configurado com 20 segundos, permitindo ao usuário configurar um tempo de até 120 segundos.

Se desejar que o tempo de espera para o envio volte ao padrão, basta configurar o campo ‘Simular timeout de emissão’ para Não. O envio então será executado normalmente.

Campo QR-Code na emissão de NFC-e

Última atualização em: 08 de novembro, 2016

 

De acordo com a Nota Técnica 2015/002, “o Projeto da NFC-e compreende a autorização da NFC-e pelas empresas e a disponibilização para o consumidor final de uma Consulta da NFC-e via QR-Code. Incluído no leiaute um campo texto que representa o QR-Code. Incluídas novas regras de validação garantindo a qualidade desta informação”.

Com a liberação desta nova Nota Técnica, foi incluído no leiaute da Nota Fiscal um grupo opcional de “Informações Suplementares”, contendo um texto que representa o conteúdo do QR-Code impresso no DANFE – NFC-e. Este grupo de informações está no mesmo nível do grupo “infNFe”, não afetando, portanto, a assinatura digital da Nota Fiscal.

Para as empresas emissoras que integram via Web Service não é obrigatório preencher este novo campo, porém se o mesmo for informado deve seguir as normas do manual do QR-Code, disponibilizado pela SEFAZ.

Se este campo vier em branco o InvoiCy irá preenchê-lo automaticamente, mas se o mesmo já vier preenchido o InvoiCy não fará nenhuma verificação e enviará a informação diretamente para a SEFAZ.

Já para as empresas emissoras que integram via DLL Daruma, a própria DLL irá preencher este campo automaticamente.

Também existe a possibilidade de configurar a forma de alinhamento na impressão desse QR Code no DANFE NFC-e, escolhendo se o mesmo virá centralizado ou alinhado a esquerda.

Para isso basta acessar o Painel de Controle do InvoiCy, módulo NFC-e – Configurações para emissão, onde terá disponível a configuração ‘Alinhamento do Qr Code no DANFE’, com as opções ‘Centralizado e Esquerda’, conforme imagem abaixo.

Ao optar pelo alinhamento do QR Code na esquerda, o mesmo será impresso da seguinte forma no DANFE NFC-e:

Já ao optar pela forma de alinhamento centralizado, o QR Code será impresso da seguinte forma no DANFE NFC-e:

Cadastro de fornecedor para emissão de NFC-e no Paraná

Última atualização em: 13 de outubro, 2015

 

A SEFAZ do Paraná exige que o Fornecedor (Desenvolvedor de Sistemas) faça seu cadastro junto a Receita Estadual, visto que, a adesão voluntária à NFC-e no estado já foi liberada e a data para primeira obrigatoriedade é de 1 de julho (vide calendário); os emissores precisarão encontrar o CNPJ do fornecedor da aplicação para que possam emitir seu CSC (Código de Segurança do Contribuinte).

Para credenciamento:

O FORNECEDOR (Desenvolvedor de Sistemas) deverá efetuar o seu cadastro, alteração e cessação, no endereço eletrônico www.fazenda.pr.gov.br, ambiente RECEITA/PR, serviço UPD, mediante preenchimento de formulário específico, utilizando-se do código de acesso da área restrita e da senha de representante legal previamente cadastrado, conforme passo-a-passo:

Caso ainda não seja usuário do serviço Receita/PR

1) Acessar o serviço “Receita/PR → torne-se usuário” no menu lateral do Portal da SEFAZ, em www.fazenda.pr.gov.br.

2) Seguir todos os passos que o sistema apresentar e ao final você receberá o e-mail de confirmação da homologação, com a senha inicial de utilização.

Caso já tenha login para o serviço Receita/PR

1)  Acessar o site da Receita do Paraná http://www.receita.pr.gov.br/ e efetuar o Login.

2) Clicar no Menu “UPD” e ir em “Pedido de Cadastro”

3) Na próxima tela é preciso informar o CNPJ da software house para “Efetuar o Pedido de Cadastro de Fornecedor de Software”. Depois, é preciso selecionar “NFC-e modelo 65”.

4) Ao final do cadastro, imprimir duas vias, assinar, fazer o reconhecimento em cartório e enviar para a SEFAZ-PR no setor de Protocolo.

5) Após 24 horas você recebe o código de credenciado e está apto a distribuir sua aplicação.

Ambientes de homologação e produção:

Serão disponibilizados ambientes de homologação para testes e ambientes de produção para documentos com validade jurídica.

Para maiores informações acesse a NP FISCAL Nº 063/2012.

Configurando exportador de documentos para FTP

Última atualização em: 03 de janeiro, 2018

 

A Plataforma InvoiCy foi adequada de forma a atender a necessidade do cliente de realizar a exportação automática dos arquivos XML de CF-e SAT e NFC-e emitidas para um diretório FTP, onde terá a possibilidade de configurar os dados do diretório FTP de acordo com sua preferência.

Porém, é importante destacar que o InvoiCy trabalha apenas com o SFTP, que utiliza segurança SSH para garantir a segurança dos dados trafegados, pois se utilizar o FTP normal os dados trafegados serão públicos.

Para configurar os parâmetros da exportação automática e informar os dados do FTP basta acessar o “Painel de Controle”, localizado no menu a esquerda da tela inicial, como destacado na imagem abaixo.

Na tela do Painel de Controle, representada na imagem a seguir, acessar a opção “Exportação Automática”, junto as demais opções do Módulo NFC-e.

Na tela de “Exportação”, representada na imagem abaixo, é possível configurar os dados do Servidor FTP, como Host, Porta do servidor, Usuário e Senha, e ainda definir o diretório para exportação dos arquivos no FTP. É importante destacar também que ao executar o processo de exportação o InvoiCy irá gerar um arquivo de teste (testeFTP.txt) no FTP, para verificar se obteve sucesso na conexão com o FTP configurado, caso contrário irá gravar logs na aplicação relatando as falhas ocorridas.

Após configurar os dados do Servidor FTP o usuário pode definir se a empresa irá exportar os arquivos de forma automática ou não, definindo o tipo de exportação, por período ou intervalo de tempo.

Quando o processo de exportação for executado serão baixados apenas os arquivos com status Autorizado, Cancelado, Inutilizado e Denegado. Se a exportação for por período, todos os arquivos serão compactados em uma pasta .zip e armazenados no endereço do diretório FTP configurado. A nomenclatura padrão do arquivo .zip gerado será: CNPJ_DATAHORAEXPORTADA.zip, exemplo, 99999999000191_20102014100442.zip.

Será gerado ainda um relatório com os totalizadores de todos os documentos que foram exportados pela empresa, por status. O mesmo será armazenado junto com o arquivo .zip no diretório do FTP, com a seguinte nomenclatura: CNPJ_DATAHORAEXPORTADA.pdf. A Figura a seguir demonstra um modelo deste relatório.

Relatório arquivos exportados

Já se o tipo de exportação for por intervalo de tempo, os arquivos serão enviados abertos e salvos no diretório FTP configurado, e nenhum relatório será gerado.

Ao optar por intervalo de tempo deve-se definir o tamanho máximo do lote, ou seja, quantos arquivos serão executados a cada exportação. Destacando que essa configuração é por Parceiro, e o valor padrão é 100. Também deve-se informar para cada empresa um endereço de e-mail para que o Parceiro possa receber informações sobre o processo de exportação. E através da opção “Exportar documentos rejeitados?”, o usuário poderá escolher se deseja exportar também os documentos com status rejeitado.

Após 6 tentativas de exportação, se ocorrer falha o Parceiro será comunicado através desse endereço de e-mail, e também no e-mail que está configurado nos dados da empresa.

Quando o tipo de exportação for por intervalo de tempo, os documentos são enviados individualmente para a fila de exportação. O processo de exportação irá buscar os documentos pendentes na fila e exportar a quantidade configurada no lote.

Já ao escolher a opção de exportação por período, o Parceiro poderá escolher um período de exportação dentre as opções “Ontem, Anteontem, 3 dias atrás, 4 dias atrás ou 5 dias atrás”, e poderá escolher ainda se o período será com base na data de emissão ou inclusão dos documentos.

Quando a exportação for por período, irá buscar todos os documentos do período agendado, e incluir um único processo de exportação na fila. O usuário poderá ainda escolher se deseja exportar também os documentos com status rejeitado, através da opção “Exportar documentos rejeitados?”.

Se a empresa desejar exportar os arquivos de um período diferente ou do dia atual poderá fazer uso da Exportação Manual, como representa a figura abaixo

Nesse processo de Exportação Manual, ao clicar no botão “Incluir”, poderá criar uma exportação definindo o período inicial e final do intervalo de exportação, conforme a imagem abaixo. Ao criar uma nova exportação, seu status será definido automaticamente como “Não Iniciado”.

O processo de exportação manual ficará rodando e gerando a exportação de todos os documentos vinculados ao período informado, e que esteja com status “Não iniciado”. Ao concluir o processo será alterado o status de acordo com o resultado final da exportação, “Erro” em caso de falha, e “Concluído” em caso de sucesso. 

No processo de exportação manual, os documentos serão exportados de acordo com a data configurada, mesmo que em paralelo exista um agendamento para a exportação automática, que deverá rodar normalmente. Desta forma, se gerar alguma exportação manual a data do agendamento automático não será afetada pela data informada no processo manual.

É possível ainda gerar um relatório com os totalizadores de todos os documentos que foram exportados pela empresa, por status. Para obter mais informações sobre a geração de relatórios, leia o artigo Relatórios FTP.