Emissão de NF-e via tela de digitação

Última atualização em: 31 de outubro, 2017

Olá! Buscando a melhoria contínua da Plataforma InvoiCy, a partir da versão 1.27.0.0 liberamos uma nova funcionalidade para os emissores de NF-e: o processo de digitação de NF-e.

Agora, você usuário poderá emitir suas NF-e informando os dados necessários via tela, sem a necessidade de integrar com o Web Service do InvoiCy. Na sequência iremos explicar como acessar e utilizar essa novidade. É importante destacar que todas as NF-e emitidas via tela serão no layout novo 4.00.

Primeiramente é importante destacar que para fazer uso da nova tela de digitação não é necessário que a empresa possua uma licença para o módulo de digitação ativa, pois como a tela de digitação estará disponível apenas em homologação no momento, será uma versão Beta para testes.

Menu Emitir

Ao clicar na opção ‘Emitir [BETA]’, você será direcionado para a tela de documentos em digitação, onde poderá visualizar todos os documentos que estão em digitação, e que por não estarem finalizados ou por algum motivo de rejeição ainda estão pendentes de emissão.

Através dos ícones presentes na grid, você tem a possibilidade de editar estes documentos e tentar emiti-los novamente, ou então inutilizar o documento, informando uma justificativa para a inutilização.

Através dos filtros poderá pesquisar uma NF-e através do seu número, série, data de emissão ou nome do destinatário.

Para emitir uma nova NF-e basta clicar no botão ‘Emitir NF-e’. Já o botão ‘Reutilizar dados’ deverá ser utilizado quando se deseja emitir uma nova NF-e com base em outra NF-e que já foi efetivada, podendo reutilizar suas informações para agilizar o processo de emissão. A imagem abaixo demonstra essas duas opções.

Ao clicar no botão ‘Reutilizar dados’, abrirá uma tela para você escolher a NF-e que deseja reutilizar, podendo utilizar os filtros de pesquisa para encontrar o documento desejado. Após encontrar o seu documento, clique no ícone ‘Reutilizar’, como demonstra a imagem abaixo.

Na sequência será aberta a tela de digitação preenchida com as informações desse documento que foi selecionado, possibilitando assim emitir uma nova NF-e reaproveitando os dados de outra.

Ao clicar no botão ‘Emitir NF-e’, será aberta a tela de digitação para emitir uma nova NF-e, onde no grupo ‘emitente’ você deverá informar dados como a natureza da operação, finalidade e tipo da NF-e, entre outras informações que podem ser observadas na imagem abaixo.

No bloco ‘Destinatário’, você deverá informar os dados do destinatário da NF-e, como nome, CNPJ/CPF, endereço, entre outros. Ao digitar no campo ‘Nome’ serão listados os destinatários encontrados, caso nenhum seja listado você tem a possibilidade de adicionar um novo destinatário, como demonstra a imagem abaixo.

Ao clicar em ‘Adicionar registro’ será aberta uma nova tela para informar todos os dados de cadastro do novo destinatário. Ao salvar as informações e fechar a tela, voltará para a tela de digitação, já com as informações do novo destinatário preenchidas.

Ao expandir o grupo ‘Documentos Referenciados’ aparecerá um botão para adicionar documentos, onde será aberta uma tela separada pelos modelos de documentos: NF-e, NF, NF de Produtor, CT-e e ECF, para que você possa adicionar.

No grupo ‘Produtos’ deve-se informar os produtos que compõem a NF-e. da mesma forma, ao digitar a descrição no campo ‘Item’ serão listados os itens encontrados, caso contrário você pode adicionar um novo item.

Na tabela dos itens, os valores correspondentes as colunas ‘Vlr. Bruto’ e ‘Vlr Líquido’ serão calculados automaticamente. Após inserido um item você ainda tem a possibilidade de editar o mesmo, clicando no primeiro ícone que fica ao lado da coluna ‘Vlr. Líquido’ da grid. Para informar/editar os impostos do item, basta clicar no ícone ao lado.

Já no grupo ‘Frete’ pode-se definir a modalidade de frete. Ao clicar em ‘Mais informações do frete’ é possível informar dados de veículos, volumes e retenção de ICMS. A imagem abaixo demonstra todos esses grupos que foram comentados acima.

No grupo ‘Totais’ os valores serão preenchidos automaticamente. Apenas os valores correspondentes aos links ‘Informações do ISSQN’ e ‘Retenção de tributos’ que podem ser preenchidos pelo usuário.

No grupo ‘Cobrança’ pode-se escolher a forma de pagamento, entre: Pagamento à vista, Pagamento a prazo e Outros.

Ao optar pela forma de pagamento a prazo deve-se preencher também o grupo ‘Duplicatas. No grupo ‘Informações de pagamento’ deve-se definir a forma de pagamento, como pode-se observar na imagem a seguir.

Por fim o grupo de ‘Informações Adicionais’, e logo abaixo uma série de links, que permite adicionar mais algumas informações, como as pessoas autorizadas a fazer o download do XML, informações de compra, documentos referenciados entre outras.

E no final da página se encontra o botão ‘Emitir NF-e’, para efetuar o envio do documento, e o botão ‘Pré visualizar DANFE’, que possibilita visualizar o DANFE antes de efetuar a emissão da NF-e.

Digitação NF-e com certificado A3

 

Para realizar a digitação de uma NF-e utilizando certificado A3 é necessário que no menu principal do InvoiCy na opção “Emitir” seja efetuado o download do Assinador A3, programa o qual vai permitir a conexão do certificado A3 de sua empresa com o InvoiCy.

Veja como funciona:

Download Assinador

 

Ao realizar o download do Assinador, o mesmo será baixado em seu computador com a seguinte identificação: Assinador + nome da empresa + mais o código gerado pelo InvoiCy para identificar o Assinador A3 de sua empresa, caso o download do Assinador A3 seja realizado em mais computadores o código gerado pelo InvoiCy será diferente. Como exemplo apresentado abaixo:

Instalador Assinador

 

Após realizado o download do Assinador A3, basta efetuar duplo clique sobre o instalador e seguir as orientações do programa de instalação, demostrado nas imagens a seguir.

O InvoiCy Assinador A3, lhe apontará para um local destino da instalação, porém caso seja necessário alterar este diretório de instalação, utilize o botão de “Procurar” para adicionar um novo local para que o programa seja instalado.

1- Instalação Assinador

 

Ao informar o local destino de instalação do programa Assinador A3, a próxima etapa lhe permite configurar a criação de um atalho do seu Assinador na área de trabalho de seu computador, escolha está opção se desejar e siga o processo de instalação clicando em “Avançar”.

2- Instalação Assinador

 

E assim, seu Assinador A3 está pronto para finalizar a instalação. Para isso clique sobre o botão “Instalar” e aguarde que o mesmo finalize a instalação do programa.

3- Instalação Assinador

 

Pronto seu assinador A3 já pode ser iniciado, para que o mesmo realize a conexão com o certificado digital A3 que está plugado em seu computador.

Lembre-se, para que o assinador faça a comunicação correta com o certificado digital, o mesmo precisa sempre estar plugado no computador para que assim realize as emissões de NF-e com sucesso.

4- Instalação Assinador

 

Quando iniciar o processo de digitação da NF-e será acionado o assinador, e na primeira conexão do dia a senha do certificado da empresa será solicitada, informe a senha e siga com suas emissões.

A senha do certificado será armazenada pelo Assinador A3 e você não precisará digitá-la novamente, apenas será solicitada novamente se o certificado for retirado de seu computador.

 

Pré-visualização do DANFE via Web Service no InvoiCy

Última atualização em: 02 de agosto, 2017

A partir da versão 1.26.0.0 do InvoiCy é possível pré-visualizar o DANFE antes de realizar a emissão da NF-e. Neste artigo iremos demonstrar como fazer uso dessa nova funcionalidade.

Para solicitar a pré-visualização do DANFE via Web Service basta enviar o mesmo layout utilizado para o envio da NF-e, trocando apenas a tag pai do XML, <Envio> para <PreVisualizarDANFE>, como demonstra a imagem abaixo.

Clique aqui para visualizar um exemplo do layout de pré-visualização do DANFE.

É importante destacar que ao enviar esse layout a NF-e não será emitida, apenas será gerado o DANFE para pré-visualização. Se desejar efetivar a nota deverá enviar o layout normal de envio, com a tag pai <Envio>.

Ao enviar esse layout de pré-visualização, será retornado o código ‘100 – DANFE gerado com sucesso’, juntamente com o PDF do DANFE em formato base64. A imagem abaixo representa o retorno do Web Service.

 

Impressão de DANFE Simplificado

Última atualização em: 13 de março, 2017

 

A Plataforma InvoiCy conta com uma nova forma de orientação da página a ser impressa o DANFE, além das opções Retrato e Paisagem, também disponibilizamos agora o DANFE Simplificado.

Tanto a orientação Retrato como Paisagem podem ser impressas em formulário A4. Já o DANFE com orientação Simplificado poderá ser utilizado em impressoras portáteis, para impressões fora do estabelecimento por exemplo, com bobina térmica para impressão com largura de 8cm.

É importante salientar que de acordo com a Nota Técnica 2012/001, o DANFE Simplificado poderá ser utilizado SOMENTE nas operações realizadas fora do estabelecimento, estando o emissor sujeito a multa caso viole essa orientação.

Para habilitar essa nova configuração acesse o Painel de Controle, e no grupo NF-e a opção ‘Impressão’, como destacado na imagem a seguir.

Para habilitar a impressão do DANFE Simplificado é necessário configurar o parâmetro ‘Habilitar DANFE simplificado’, como destacado na imagem abaixo. Ao selecionar a opção ‘Sim’ aparecerá uma mensagem em tela alertando o usuário sobre a impressão simplificada.

Após configurar o parâmetro ‘Habilitar DANFE simplificado’ para Sim, no campo ‘Orientação’ estará disponível a opção Simplificado. A partir disso, o DANFE das NF-e emitidas poderá ser impresso de forma simplificada.

No momento da emissão de cada NF-e também é possível definir qual orientação será utilizada para impressão do DANFE. Para isso é preciso enviar os novos parâmetros para configuração do formato da impressão. Abaixo segue um exemplo da estrutura de parâmetros a ser enviada.

Parâmetros para impressão

As opções disponíveis são: 1 – Retrato, 2 – Paisagem e 3 – Simplificado. Se desejar fazer o download do arquivo XML do exemplo acima clique aqui.

Para efetuar o envio, o XML dos parâmetros deve ser convertido para texto, e inserido entre as TAGS do SOAP de envio. Veja abaixo um exemplo:

Para fazer o download desse exemplo de integração via SOAP UI clique aqui.

No retorno do envio da NF-e, o Base64 do PDF e o link para download do PDF serão impressos de acordo com as configurações da empresa.

Veja um exemplo do DANFE Simplificado na imagem abaixo.

É importante levar alguns pontos em consideração no momento de configurar a orientação de impressão do DANFE:

– Caso o parâmetro ‘Habilitar DANFE simplificado’ da tela de Impressão estiver como ‘Sim’ e a opção ‘Orientação’ está configurada como Retrato, mas no momento de envio da NF-e for enviada a opção de impressão ‘Simplificado, o DANFE será impresso de acordo com o parâmetro enviado no SOAP.

– Se o parâmetro ‘Habilitar DANFE simplificado’ da tela de Impressão estiver como ‘Sim’ e a opção ‘Orientação’ está configurada como Simplificado, mas no momento de envio da NF-e for enviada a opção de impressão ‘Paisagem’, o DANFE será impresso de acordo com o parâmetro enviado no SOAP.

– Já se o parâmetro ‘Habilitar DANFE simplificado’ da tela de Impressão estiver como ‘Não’, e no momento de envio da NF-e for informado o parâmetro de impressão com a opção ‘Simplificado’, será impresso o DANFE de acordo com o que está configurado na opção ‘Orientação’ da tela de Impressão.

Ou seja, sempre que o parâmetro ‘Habilitar DANFE simplificado’ estiver como ‘Sim’, vai imprimir o DANFE de acordo com as informações enviadas no parâmetro de envio da NF-e. Caso os parâmetros não forem enviados então irá considerar a configuração do campo ‘Orientação’ da tela.

E quando o parâmetro estiver como ‘Não’ também levará em consideração a configuração do campo ‘Orientação’.

Alterações necessárias para entrada em Produção

Última atualização em: 25 de outubro, 2016

 

Olá! Neste artigo iremos abordar quais alterações são necessárias para que a empresa inicie a emissão no ambiente de PRODUÇÃO do InvoiCy. Antes de realizar a entrada em Produção recomendamos que leia o artigo “Verifique se sua empresa está apta para entrar em Produção”, e efetue o checklist de testes recomendado no artigo.

Ao concluir os testes de integração com o ambiente de homologação do InvoiCy, seu próximo passo será iniciar a emissão com o ambiente de Produção. Para que isso seja possível devemos atentar-se para os seguintes procedimentos:

1. ASSINE O CONTRATO! Só será possível realizar a emissão em Produção após a Migrate ter recebido o contrato devidamente assinado. Após a assinatura do contrato a Migrate irá liberar o ambiente de Produção, onde você receberá um e-mail contendo os dados de acesso do ambiente, como usuário e senha, bem como o link de acesso ao portal. Em caso de dúvidas referente este procedimento contate imediatamente seu Gerente de Contas, ou envie um e-mail para comercial@migrate.com.br.

2. CADASTRE SEUS CLIENTES! Após o recebimento dos dados de acesso ao ambiente de Produção por e-mail, seu primeiro passo será efetuar o cadastro de seus clientes no InvoiCy. ATENÇÃO! O processo de cadastro é IRREVERSÍVEL e passível de COBRANÇA! Uma vez cadastrada, a empresa não poderá mais ser excluída, e a ativação de sua licença poderá iniciar o processo de cobrança. Só efetue o cadastro de uma empresa no ambiente de Produção se tiver certeza de sua utilização. Em caso de dúvidas no processo de cadastro consulte o artigo “Cadastrar uma empresa via Interface Web”.

3. AJUSTE SEU XML DE INTEGRAÇÃO! Para que seja possível realizar a emissão do primeiro documento em ambiente de Produção, atente-se para alguns ajustes que devem ser realizados no XML de integração.

     3.1 TAG <tpAmb>: Em ambiente de homologação esta tag era enviada com o valor 2. Agora em Produção é necessário enviar o valor 1, que corresponde ao ambiente de Produção. Ex: <tpAmb>1</tpAmb>.

     3.2 TAGS <ChaveParceiro> e <ChaveAcesso>: Apenas para quem realiza integração com o InvoiCy Conector, altere as tags <ChaveParceiro> e <ChaveAcesso> com as chaves do ambiente de Produção. Para obter essas chaves acesse o ambiente de Produção, menu Painel de Controle > Dados da Empresa. Para integrações via Web Service ver item 4.

4. CHAVE DE COMUNICAÇÃO: Em ambiente de Produção atente-se para o correto uso das chaves para comunicação com o InvoiCy. No ambiente de homologação era utilizado uma chave de acesso para geração do hash MD5 de comunicação. Já em Produção, é gerada outra chave. A chave de parceiro não é alterada. Para encontrar a nova chave de acesso que deve ser utilizada acesse no ambiente de Produção o menu Painel de Controle > Dados da Empresa.

5. ALTERAÇÃO DO WEB SERVICE: Para comunicação com o InvoiCy em ambiente de Produção altere o Web Service de sua aplicação para: https://app.invoicy.com.br/arecepcao.aspx?WSDL. Já para quem realiza integração via InvoiCy Conector, acesse a tela abaixo e efetue a devida alteração de sua instância para ambiente de PRODUÇÃO:

6. LICENCIAMENTO: Caso não tenha licenciado a empresa, vá até a tela Painel de Controle > Módulos Contratados e efetue o licenciamento de acordo com o módulo contratado. Para maiores informações consulte o artigo “Licenciamento de Empresas”.

Após estas alterações você estará apto para realizar a emissão em Produção. Em caso de dúvidas ou problemas nas primeiras emissões em Produção envie um e-mail para integracao@migrate.com.br. Estaremos dispostos a lhe auxiliar.

Implementação da NT 2015/001

Última atualização em: 13 de junho, 2016

 

A Plataforma InvoiCy foi adequada para atender a NT2015/001, que tem como objetivo a implementação do pedido de prorrogação da suspensão do ICMS na remessa para industrialização após decorridos 180 dias, para o estado de São Paulo. Estes eventos substituem uma petição em papel do contribuinte, frente a administração pública, com um arquivo XML assinado.

É importante destacar que esta petição em papel será aceita somente até o dia 30 de junho de 2016, após este prazo deverá ser realizada de forma eletrônica, e no momento apenas o estado de São Paulo está realizando estas implementações.

Nesta Nota Técnica constam as seguintes inclusões:

  • Evento Pedido de Prorrogação
  • Evento Cancelamento de Pedido de Prorrogação
  • Evento do Fisco

Para conhecimento, esta Nota Técnica foi realizada conforme CONVÊNIO AE-15/74 publicado no DOU de 19 de dezembro de 1974, e consta na página do posto fiscal eletrônico de SP com maiores esclarecimentos das regras e obrigações conforme apresentado abaixo:

Artigo 1° – Nos casos de remessa de mercadorias para industrialização por conta de terceiro com suspensão do lançamento do imposto, os pedidos de prorrogação do prazo para retorno dos produtos industrializados ao estabelecimento de origem previsto no artigo 409 do Regulamento do ICMS deverão ser realizados:

I – através do ambiente da Nota Fiscal Eletrônica – NF-e, nas hipóteses em que o autor da encomenda for o emitente da NF-e de remessa para industrialização – CFOPs 5901 e 6901;

II – no Posto Fiscal de vinculação do estabelecimento, nos demais casos.

  • 1º – Os procedimentos para realização dos pedidos de que trata o “caput” estão disciplinados pela Nota Técnica 2015/001 – v 1.10.
  • 2º – Para a prorrogação de prazo de que trata o “caput”, exigir-se-á a manifestação do destinatário das Notas Fiscais Eletrônicas de remessa para industrialização, prevista no inciso II do artigo 30 da Portaria CAT-162/08, de 29-12-2008.
  • 3º – Na hipótese do inciso I do “caput”, até 30-06-2016, os pedidos de prorrogação poderão ser realizados, alternativamente, no Posto Fiscal de vinculação do estabelecimento.

Artigo 2º – Esta portaria entra em vigor na data de sua publicação, produzindo efeitos a partir de 01-01-2016.

Pedido de Prorrogação:

São eventos que substituem uma petição em papel do contribuinte, frente a administração pública, por um arquivo XML assinado. Este evento contém a solicitação de suspensão de ICMS através de um pedido de prorrogação de prazo indicando o item e quantidade que se pretende prorrogar.

É possível a suspensão de prazo por até dois períodos de 180 dias, possuindo assim dois pedidos de prorrogação: um para o 1º período de 180 dias (tpEevento = 111500) e outro para o 2º período de 180 dias (tpEvento = 111501).

Cancelamento de Pedido de Prorrogação:

Caso a empresa desejar desfazer o pedido de prorrogação (1º ou 2º prazo) poderá enviar um evento solicitando seu cancelamento, porém observando as regras contidas na NT2015.001. Os eventos ocorrem de acordo com o prazo que se deseja cancelar, onde o cancelamento do pedido do 1º prazo é o tpEvento 111502 e o cancelamento do pedido do 2º prazo é o tpEvento 111503.

É importante destacar que o cancelamento dos pedidos de prorrogação devem sempre ser realizados de acordo com sua data, seguindo uma ordem decrescente, onde o evento mais atual deve ser cancelado primeiro.

Evento do Fisco ou Deferimento dos Pedidos:

Todos os eventos de pedido de prorrogação e cancelamento de pedido de prorrogação são síncronos, ou seja, após o envio dos pedidos a SEFAZ já retorna com o protocolo do registro do evento na NF-e, da mesma forma que o envio de outros tipos de eventos, como Carta de Correção, Manifestação do Destinatário e Cancelamento.

Já o processo de retorno do deferimento pelo fisco é de modo assíncrono, ou seja, não ocorre no mesmo instante que o retorno do pedido de prorrogação. Em função disso, o retorno do pedido com o status de deferido ou indeferido não é no mesmo instante do envio do pedido, depende de um retorno posterior da SEFAZ que ainda não há tempo limite definido.

Para melhor entendimento deste processo segue abaixo uma lista das possibilidades de retorno dos Pedidos de Prorrogação de Prazo e seus Cancelamentos.

  • Envio do Pedido de Prorrogação 1º Prazo

– Síncrono: SEFAZ retorna o protocolo do evento registrado – tpEvento: 111500

– Assíncrono: SEFAZ retorna mais tarde se o pedido foi deferido (aceito) ou indeferido (recusado) – tpEvento: 411500

  • Envio do Pedido de Prorrogação 2º Prazo

– Síncrono: SEFAZ retorna o protocolo do evento registrado – tpEvento=111501

– Assíncrono: SEFAZ retorna mais tarde se o pedido foi deferido (aceito) ou indeferido (recusado) – tpEvento: 411501

  • Envio do Pedido Cancelamento de Prorrogação 1º Prazo

– Síncrono: SEFAZ retorna o protocolo do evento registrado – tpEvento=111502

– Assíncrono: SEFAZ retorna mais tarde se o pedido foi deferido (aceito) ou indeferido (recusado) – tpEvento: 411502

  • Envio do Pedido Cancelamento de Prorrogação 2º Prazo

– Síncrono: SEFAZ retorna o protocolo do evento registrado – tpEvento=111503

– Assíncrono: SEFAZ retorna mais tarde se o pedido foi deferido (aceito) ou indeferido (recusado) – tpEvento: 411503

No InvoiCy, os registros de todos os eventos enviados serão apresentados na tela de detalhes da NF-e, na aba Eventos, conforme a imagem abaixo.

Para os pedidos de prorrogação e cancelamento de pedido de prorrogação, a consulta do registro do Fisco será executada automaticamente, onde o InvoiCy irá consultar na SEFAZ se o pedido foi deferido ou indeferido e sua justificativa, e apresentar a resposta do fisco na tela de eventos. Através dos logs da NF-e também será possível acompanhar o andamento dos processos.

É possível ainda visualizar os detalhes de cada evento, clicando no registro da grid. A imagem abaixo representa os detalhes de um evento de pedido de prorrogação 1º prazo.

Para a integração destes eventos foi desenvolvido um material de apoio ao parceiro, com exemplos de arquivos XML de integração, tabelas com os layouts de envio e retorno dos eventos, e todas as informações necessárias para enviar pedidos de prorrogação e cancelamento. Faça o download desse material clicando aqui.

Após enviar um pedido de prorrogação ou cancelamento de pedido de prorrogação, deve-se efetuar a leitura do retorno do Fisco para saber se o evento foi deferido (aceito) ou indeferido (recusado). O InvoiCy ficará “monitorando” a SEFAZ, a fim de verificar quando o Fisco irá emitir o evento de resposta ao pedido de prorrogação, ou cancelamento do pedido de prorrogação.

Você Parceiro precisará consultar a NF-e, e informar nos parâmetros da consulta que deseja receber também os eventos no retorno da consulta. Para saber mais sobre a consulta de documentos acesse o artigo Consultando um Documento (NF-e, NFC-e, MDF-e ou CT-e).

Ao obter o retorno da consulta, precisará ler e verificar se há eventos do Fisco. Se houver eventos do Fisco, precisará ler esses eventos a fim de verificar se o que foi solicitado pelo emissor foi atendido.

Para facilitar seu entendimento disponibilizamos alguns exemplos de retorno do Fisco para pedidos de prorrogação e cancelamento de pedido de prorrogação, faça download desses exemplos clicando aqui.

Algumas informações importantes sobre o retorno do Fisco: a tag <tpEvento> pode retornar os valores:

– 411500: resposta ao pedido de prorrogação 1º prazo;
– 411501: resposta ao pedido de prorrogação 2º prazo
– 411502: resposta ao cancelamento de prorrogação de 1º prazo;
– 411503: resposta ao cancelamento de prorrogação de 2º prazo.

Referente ao retorno de Pedido de Prorrogação, a tag <statPrazo> representa o identificador do cumprimento do prazo para solicitação do pedido de prorrogação, podendo retornar preenchida com:

0 – Após o prazo;
1 – Dentro do prazo.

A tag <statPedido> representa a resposta do Fisco ao item do pedido de prorrogação, sendo retornada com os valores:

1 – Deferido (aceito)
2 – Indeferido (recusado)

E a tag <justStatus> retorna a justificativa da resposta do Fisco ao item do Pedido de Prorrogação, contemplando os seguintes retornos:

1 – Autorizado pelo Fisco;
2 – Manifestação de Destinatário – desconhece a operação;
3 –  Manifestação do Destinatário – operação não realizada;
4 – O item não consta na NF-e;
5 – O item não consta no pedido de prorrogação do 1º prazo;
6 – CFOP não autorizado;
7 – Quantidade inconsistente com a quantidade do item;
8 – Solicitação de pedido fora do prazo;
9 – Pedido de prorrogação cancelado pelo contribuinte;
10 – Outra

Já referente ao retorno do Cancelamento de Pedido de Prorrogação, a tag <statCancPedido> representa a resposta do Fisco ao Cancelamento do Pedido de Prorrogação, podendo vir preenchida com os valores:

1 – Deferido (aceito)
2 – Indeferido (recusado)

E a tag <justStatus> retorna a justificativa da resposta do Fisco ao cancelamento de Pedido de Prorrogação, contemplando os seguintes retornos:

1 – Autorizado pelo Fisco;
2 – O Pedido de Prorrogação já foi cancelado por outro evento;
3 – Solicitação de pedido fora do prazo;
4 – Tentativa de cancelamento de prorrogação de até 360 dias de um item que foi prorrogado por mais de 360 dias. Cancele a prorrogação por mais de 360 dias previamente;
5 – Outra

Para mais informações sobre os retornos do Fisco, acesse a Nota Técnica 2015/001.

Instalação do Certificado Digital

Última atualização em: 09 de maio, 2016

O certificado digital é utilizado em dois momentos distintos no processo de envio de documentos fiscais, no momento da assinatura de mensagens emitidas e no processo de transmissão desses documentos fiscais à SEFAZ. Desta forma, o certificado digital possui uma grande importância às empresas emissoras e todas devem possuí-lo instalado corretamente em seu ambiente para que a devida comunicação com a SEFAZ seja realizada.

Se o certificado da empresa não for instalado corretamente podemos encontrar problemas com erro de “Keyset does not exist” quando o certificado for “AC SOLLUTI”.

Para isso, pensando em ajudar a sua empresa a gerenciar a instalação do certificado de forma correta disponibilizamos uma documentação com a execução do processo, veja o passo a passo a seguir.

Efetue duplo clique sobre o certificado digital da empresa.

Cert1Figura 1: Certificado Digital Migrate

Será apresentado em seguida a Tela de “Assistente para Importação de Certificados”, sendo necessário clicar em “Avançar >” para que se inicie a importação do certificado da empresa selecionada.

Cert2Figura 2: Assistente para Importação de Certificados

Após “Avançar”, será apresentada a tela para a verificação do certificado a ser importado, valide a informação do campo “Nome do arquivo”, se o certificado a ser importado estiver incorreto selecione o novo arquivo através da opção “Procurar”, caso o certificado selecionado esteja correto siga o processo clicando em “Avançar >”, conforme demonstrado na Figura 3.

Cert3Figura 3: Assistente para Importação de Certificados

Conforme a Figura 4, deve-se informar a senha do Certificado Digital, marcar a opção “Marcar esta chave como exportável. Isso possibilitará o backup e o transporte das chaves posteriormente” e também a opção “ Incluir todas as propriedades estendidas”. Ao finalizar as marcações, clique em “Avançar >” para dar sequência a importação do certificado.

ATENÇÃO! o usuário deve ter um cuidado especial quanto ao armazenamento da senha do Certificado Digital, mantendo-a em sigilo.

Cert4Figura 4: Assistência para Importação de certificados – Senha

Na sequência o Windows armazenará o certificado digital da empresa em seu repositório de certificados, mantenha marcada a opção “Selecionar automaticamente o repositório de certificados conforme o tipo de certificado” e clique em “Avançar >”. Confira as configurações na Figura 5.

Cert5Figura 5: Assistência para Importação de certificados – Repositório de Certificados

Assim o usuário conclui a importação do Certificado Digital e o arquivo estará salvo no repositório apontado pelo sistema operacional Windows, conforme pode ser conferido na Figura 6.

Cert6Figura 6: Assistência para Importação de certificados – Concluído a importação

Após realizar a importação do certificado para o console do Windows no usuário logado na máquina, basta efetuar a exportação do certificado para a extensão “.cer”. De uma forma simples, na sequência explicamos como efetuar o processo de exportação através do Microsoft Management Console (MMC) e ou através do Internet Explorer (IE), escolha qual a opção melhor se adapta ao seu processo empresarial.

1. Exportação via Microsoft Management Console (MMC)

Com o certificado importado no perfil do usuário logado no computador, para exportá-lo para o arquivo .cer deve-se abrir a opção “Executar” de sua máquina, conforme demonstra a imagem abaixo.

Cert7Figura 7: Executar programa

Ao abrir a tela do Executar, basta informar o comando “mmc”, o qual lhe dará acesso ao Microsoft Management Console (MMC) que possibilitará a exportação do certificado digital para extensão .cer. Veja a Figura 8.

Cert8Figura 8: Busca pelo “Microsoft Management Console (MMC)”

Desta forma será apresentado a você o Console do Windows, que dará acesso a Raiz do Console do certificado digital de sua empresa que foi instalado ao perfil do usuário logado no computador no momento da importação do certificado.

Cert9Figura 9: Acessando a Raiz do Console

Para que a opção de certificados esteja disponível ao seu usuário é necessário acessar a opção: “Adicionar/remover snap-ins”, conforme pode-se visualizar na Figura 10.

Cert10Figura 10: Adicionar/remover snap-ins

Selecione na lista de Snap-ins disponíveis a opção “Certificados”, após selecionado utilize o botão “Adicionar>”.

Cert11Figura 11: Adicionar ou Remover Snap-ins – Certificados

Com a adição desse Snap-in será necessário informar que a “Minha conta de usuário” será a responsável por gerenciar este certificado digital. Veja abaixo na Figura 12, qual a forma correta de selecionar, e confirme em “Concluir”:

Cert12Figura 12: Snap-in de certificados – Minha conta de usuário

Ao adicionar o certificado a sua conta de usuário, agora é possível finalizar através do botão “OK”, veja a Figura 13.

Cert13Figura 13: Adicionar ou Remover Snap-ins – Certificados selecionado

Ao concluir a importação, o certificado já estará disponível para visualização no console do Windows de seu usuário.

Cert14Figura 14: Certificado de empresa adicionado ao console

Clicando sobre a opção “Ação” -> “Todas as tarefas” -> “Exportar” o certificado digital da empresa em seguida será exportado através do “Assistente para Exportação de Certificados” conforme a Figura 15 e 16.

Cert15Figura 15: Selecionar Exportação do Certificado

Na tela de “Assistente para Exportação de Certificados” conforme a Figura 16 basta clicar em “Avançar”.

Cert16Figura 16: Assistente para Exportação de Certificados

E conforme a Figura 17 deve-se marcar a opção “Sim, exportar a chave privada”, para que nas próximas telas haja a possibilidade de inserir uma senha para o certificado digital exportado.

Cert17Figura 17: Assistente para Exportação de Certificados – Exportar Chave Particular

Na próxima etapa basta selecionar a opção de “Troca de informações pessoais – PKCS n° 12(*.pfx)” conforme a Figura 18, observando que neste caso a extensão do certificado digital será “.pfx”.

Cert18Figura 18: Assistente para Exportação de Certificados – Formato de Arquivo de Exportação

Ao clicar em “Avançar” abrirá a tela de “Assistente para exportação de certificados – Senha”, onde o usuário deve informar uma senha para o certificado exportado e posteriormente confirmá-la.

ATENÇÃO! o usuário deve tomar cuidado quanto ao armazenamento da senha do Certificado Digital, mantendo-a em sigilo.

Cert19Figura 19: Assistente para Exportação de Certificados – Senha

Após avançar, deve-se clicar em “Procurar” e buscar por um diretório do seu computador onde deseja salvar o certificado digital, conforme Figura 20.

Cert20Figura 20: Assistente para Exportação de Certificados – Arquivo a ser Exportado

Ao localizar o local desejado basta informar um nome para o arquivo de certificado e clicar em “Salvar”, como pode observar na Figura 21.

Cert21Figura 21: Local a ser exportado o certificado

Assim, o caminho do diretório selecionado fica listado na tela de “Assistente para exportação de certificados – Arquivo a ser exportado”, conforme a Figura 22. Para finalizar, basta clicar em “Avançar”.

Cert22Figura 22: Assistente para Exportação de Certificados – Nome do arquivo/certificado

Assim, o usuário conclui a exportação do Certificado Digital (conforme Figura 23), que servirá como um backup. O arquivo estará salvo no diretório apontado na Figura 22 e deverá ser utilizado para cada cadastro de empresa que for realizado na aplicação que emita documentos fiscais eletrônicos.

Cert23Figura 23: Concluindo o Assistente para exportação de certificados

2. Exportação via Internet Explorer (IE)

Após realizar a importação do certificado digital no perfil do usuário desejado em seu computador, será possível localizá-lo, para assim exportar este para o arquivo .pfx, .p8 ou .p12, conforme os passos a seguir:

  • Deve-se abrir o Internet Explorer e clicar em:
    • Ferramentas – Opções da Internet;
    • Acesse guia – Conteúdo e clique em – Certificados;

CertIE

Através da guia “Certificados”, será possível exportar o certificado digital para o arquivo .pfx, .p8 ou .p12, que são as extensões possíveis para o certificado digital exportado.

CertMigrate

Clicando sobre o certificado digital da empresa e em seguida em “Exportar” abrirá a tela “Assistente para Exportação de Certificados” conforme a Figura 16, item o qual será o mesmo apresentado na seção de “Assistente para Exportação de Certificados”.