Gerar um XML de Envio passo-a-passo – Antigo

Última atualização em: 01 de agosto, 2014

 

Segurança dos Web Services

O InvoiCy NFS-e trabalha com um sistema de segurança em cada web service, trata-se de uma chave de segurança de 128 bits.

Cada nova empresa cadastrada no sistema recebe uma chave de acesso que, no momento de envio de algum XML será concatenada com o conteúdo do XML e criptografada em MD5, gerando a CK (chave de comunicação) que será enviada dentro da tag “<EmpCK>”. Para mais informações sobre a chave de acesso consulte o artigo Verificando a chave de acesso da empresa.

Cada cliente do InvoiCy NFS-e recebe uma PK (chave de parceiro) que deve ser enviada em todos os XML dentro da tag “<EmpPK>” , essa chave é a mesma usada para solicitar licenças e fará parte do processo de segurança do InvoiCy NFS-e.
A chave de parceiro é gerada por nosso Sistema de Gestão no momento que a sua empresa é cadastrada como nosso parceiro. A mesma será enviada por e-mail e utilizada para controlar as empresas de clientes finais que utilizarão licenças adquiridas pela sua empresa.

Exemplo do cabeçalho de um XML contendo a chave de comunicação e a chave de parceiro.

cabecalho_xmlCabeçalho com CK e PK

Para gerar a CK concatena-se a chave de acesso com o XML linearizado (remover quebras de linhas e espaços entre as tags). Nesse processo o cabeçalho do XML não é usado, apenas o conteúdo após a tag “</Cabecalho>”. Segue o exemplo para cada web service:

  • Recepção RPS é chave de acesso + <Lista>… </Lista> (sempre com todo o conteúdo da tag)
  • Consulta, Cancelamento e Download Espelho RPS é chave de acesso + <ListaRPS>…</ListaRPS>
  • Download XML é chave de acesso + <FaixaConsulta>… </FaixaConsulta>
  • Cadastro do prestador não utiliza a CK.

Após calcular o hash MD5 dessa string e o resultado será a CK. No caso de dúvidas ver o artigo Como gerar o código Hash MD5.

Gerar um XML passo-a-passo

De uma forma simplificada, a empresa precisa seguir os passos abaixo para criar um XML válido:

1. Gerar o XML a ser comunicado (sem o cabeçalho);

2. Linearizar o XML (remover quebras de linhas e espaços entre as tags);

3. Gerar a CK;

4. Montar o cabeçalho e inserir após o mesmo o XML gerado nos passos 1 e 2.

5. Todo esse XML deve ser convertido para texto, substituindo os caracteres “<”, “>” e “ “ ” (aspas) por “&lt;”, “&gt;” e “&quot;” respectivamente, de acordo com a tabela da W3C: http://www.w3schools.com/html/html_entities.asp. Nos casos em que for usada uma ferramenta RAD para consumo do Web Service através de componente nativo, por exemplo Visual Studio utilizando Web Reference, a conversão do XML para texto irá ocorrer de forma automática.

6. Substituir os caracteres especiais/símbolos pela Entity number correspondente, por exemplo: “ç = ç”, “Ç = Ç”. Para mais informações consultar o artigo Entity number.

7. Incluir esse XML dentro da tag “EntradaXML” do SOAP.
Exemplo prático

Para facilitar o entendimento, segue um exemplo prático da criação de um XML:

1. Chave de acesso: JnL6wcTDt+hT42gROCYho6F4VTMCx0

2. XML de Recepção linearizado:

3. Chave de acesso e XML concatenado para geração da CK:

4. CK (Hash MD5) gerado sobre a string concatenada no passo 3: dd247a15c1e4fb3241f7e6f9de9cc38a

5. Cabeçalho gerado e concatenado com o XML:

Observe que a CK gerada foi incluída na tag <EmpCK>.

6. XML convertido para texto:

7. XML com os caracteres especiais/símbolos substituídos pela Entity number:

Observe a substituição destacada em vermelho na imagem e abaixo:
exemplo

 

8. XML inserido no pacote SOAP e pronto para envio ao InvoiCy NFS-e:

Entity Number

Última atualização em: 07 de janeiro, 2015

Olá, como mencionado em outros artigos disponível no Portal, o XML de sua NFS-e precisa ser convertido para texto, sendo assim abaixo possuímos a forma como você pode fazer a conversão e poder utilizar determinados caracteres. Veja abaixo:

      Reserved Characters in HTML

tabela_1
      ISO 8859-1 Symbols


      ISO 8859-1 Characters


      Math Symbols Supported by HTML


      Greek Letters Supported by HTML

Fonte: http://www.w3schools.com/charsets/ref_html_entities_4.asp

Padrão Elotech

Última atualização em: 21 de março, 2017

 

O padrão TributosWeb – Elotech possui algumas características diferentes dos demais e que diferem do padrão ABRASF.

1. Item da Lista de Serviços

O Item da Lista de Serviços segue outro modelo chamado NBS – Nomenclatura Brasileira de Serviços. Os mesmos podem ser encontrados neste link. É importante remover todos os pontos, um exemplo válido de item da lista de serviços é “702000”.

2. Item Tributável

É obrigatório informar se o item da lista de serviços é tributável ou não. Caso essa informação seja omitida, a prefeitura irá retornar um erro de Schema XML dizendo que a tag tributável deve ser preenchida.

3. Cálculo do ISS

A prefeitura é a responsável pelo cálculo do ISS. Não é necessário informar o valor do ISS. Outro detalhe é que a prefeitura também possui a alíquota correta do ISS, caso você mande 2% e a prefeitura souber que é 3%, essa informação será trocada pela prefeitura.

4. Cancelamento e substituição de RPS

A prefeitura não suporta a substituição de RPS, e não é possível cancelar uma NFSe sem tomador via sistema. Já as notas com tomador podem ser canceladas normalmente.

5. Dados de Autenticação

Para possibilitar a emissão de NFS-e via Webservice, será necessário informar dados de login do sistema de emissão da prefeitura, nos campos “Usuário Autent.” e “Senha Autent.” no cadastro da empresa, uma vez que a autenticação para este padrão não é feita através de um Certificado Digital.

No campo “Usuário Autent.” deverá informar o CPF do responsável da empresa (mesmo CPF utilizado para acessar o Sistema Web da Prefeitura).

Já no campo “Senha Autent.”, deverá ser inserida uma senha obtida no Sistema Online da Prefeitura. Para obter a senha, acesse o Sistema da Prefeitura, e no menu Acesso Restrito > Informações da Empresa, clique em “Gerar Senha WS”, conforme imagem abaixo.

Validação de Arquivos XML

Última atualização em: 10 de julho, 2014

Para realizar a validação de um arquivo XML precisaremos dos seguintes itens:

  • O arquivo XML a ser validado;
  • O Schema XSD que descreve como o arquivo XML deve estar estruturado;
  • Notepad++ com o plugin XML Tools ou outra ferramenta como o XML SPY.

Os arquivos XSD podem ser obtidos no artigo de cada serviço.
Neste artigo estaremos demonstrando como executar a validação utilizando o Notepad++. Caso o seu Notepad++ não possua o plugin XML Tools, basta ir ao menu Plugins > Show Plugin Manager > Selecione XML Tools e clique em Install.

      1. Validando o XML
Para validar o XML, é necessário ir até a opção Plugins > XML Tools > Validate Now. Você pode também usar o atalho Ctrl+Alt+Shift+M .

validacao_xml_notepad

Ao clicar em Validate Now irá aparecer a seguinte janela:

validacao_xml_notepad2

Selecione o arquivo XSD correspondente ao XML que você quer validar e clique em OK. Caso ocorra algum erro de validação, a seguinte janela irá aparecer:

validacao_xml_notepad3

Corrija as informações e repita o processo até aparecer a seguinte janela:

validacao_xml_notepad4

Gerar um XML de Envio passo-a-passo

Última atualização em: 25 de setembro, 2015

Segurança dos Web Services

O InvoiCy trabalha com um sistema de segurança em cada web service, trata-se de uma chave de segurança de 128 bits.

Cada nova empresa cadastrada no sistema recebe uma chave de acesso que, no momento de envio de algum XML será concatenada com o conteúdo do XML e criptografada em MD5, gerando a CK (chave de comunicação) que será enviada dentro da tag “<Inv:EmpCK>”.

Cada cliente do InvoiCy recebe uma PK (chave de parceiro) que deve ser enviada em todos os XML dentro da tag “<Inv:EmpPK>” , essa chave é a mesma usada para solicitar licenças e fará parte do processo de segurança do InvoiCy.

Exemplo do cabeçalho de um XML contendo a chave de comunicação e a chave de parceiro.

Cabeçalho com CK e PK

Para gerar a CK concatena-se a chave de acesso com o XML linearizado (remover quebras de linhas e espaços entre as tags). Nesse processo o cabeçalho do XML não é usado, apenas o conteúdo após a tag “<inv:Documento>”. Segue o exemplo para cada web service:

  • Recepção RPS é chave de acesso + < Envio>… </ Envio> (sempre com todo o conteúdo da tag)
  • Consulta, Cancelamento e Download Espelho RPS é chave de acesso + <Documento>…</Documento>

Após calcular o hash MD5 dessa string e o resultado será a CK. Em caso de dúvidas, veja  o exemplo prático abaixo.

Gerar um XML passo-a-passo

De uma forma simplificada, a empresa precisa seguir os passos abaixo para criar um XML válido:

1. Gerar o XML a ser comunicado (sem o cabeçalho);

2. Linearizar o XML (remover quebras de linhas e espaços entre as tags);

3. Gerar a CK;

4. Todo esse XML deve ser convertido para texto, substituindo os caracteres “<”, “>” e “ “ ” (aspas) por “&lt;”, “&gt;” e “&quot;” respectivamente, de acordo com a tabela da W3C: http://www.w3schools.com/html/html_entities.asp. Nos casos em que for usada uma ferramenta RAD para consumo do Web Service através de componente nativo, por exemplo Visual Studio utilizando Web Reference, a conversão do XML para texto irá ocorrer de forma automática.

5. Substituir os caracteres especiais/símbolos pela Entity number correspondente, por exemplo: “ç = Ç”, “Ç = ç”. Para mais informações consultar o artigo Entity number.

6. Incluir esse XML dentro da tag “inv:Documento” do SOAP.

Exemplo prático

Para facilitar o entendimento, segue um exemplo prático da criação de um XML:

1. Chave de acesso: R8CC40EC614E64108965517G90GDEYB6

2. XML de Recepção linearizado:

3. Chave de acesso e XML concatenado para geração da CK:

4. CK (Hash MD5) gerado sobre a string concatenada no passo 3: 193f2eb31f12098f98b330ef193e18c0

5. XML convertido para texto:

6. XML com os caracteres especiais/símbolos substituídos pela Entity number:

Observe a substituição destacada em vermelho na imagem e abaixo:

7. XML inserido no pacote SOAP e pronto para envio ao InvoiCy:

Observe que a CK gerada foi incluída na tag <Inv:EmpCK>.

Envio de mais de uma NFS-e.

O InvoiCy permite o envio de mais de um documento  via Web Service, podendo realizar, por exemplo,  a consulta, cancelamento  e envio de um documento, todos esses documentos em um único Envio. Conforme imagem abaixo, a tag que deve ser repetida é <inv:DadosItem>.

Para enviar mais de um documento a geração da chave de comunicação (tag <inv:EmpCK>) é obtida usando a chave de acesso (tag  <inv:EmpPK>) e apenas o primeiro documento que será enviado.

Atualizar o Certificado Digital da Empresa

Este artigo tem por objetivo demonstrar como atualizar o certificado digital da empresa. Esta situação ocorre principalmente após a expiração do certificado, ou por problemas relacionados ao mesmo. Na tela inicial do sistema existe um menu lateral com a opção Painel de controle. Tel_RPS

 

 1. Acesso ao cadastro de certificado. Na sessão Empresa do painel de controle acesse a opção Certificados. Para prosseguir este processo é necessário informar novamente o usuário e senha de acesso.

Auto_acesso

2. Informando o certificado. Na próxima tela é exibido o certificado atual (permitindo o seu download), a opção para selecionar o novo certificado e o campo senha. certificado_instalados

Após confirmar, o novo certificado será importado no sistema.

O que é Certificado A1 e onde posso adquirir?

 

Resposta: O certificado digital é um arquivo virtual que faz a identificação da sua empresa e a conexão segura junto a SEFAZ, nele contém informações como nome da sua empresa, CNPJ e assinatura da Autoridade Certificadora que o emitiu, permitindo assim que suas notas sejam autorizadas para a emissão.

No certificado digital tipo A1, válido por 1 ano, a chave privada é armazenada no disco rígido do computador e pode ser instalada em mais de um computador.

Para adquirir um certificado existem muitas certificadoras aptas a realizar o procedimento. Para acessar a listagem completa das empresas certificadoras poderá acessar o portal:  http://www.iti.gov.br/index.php/icp-brasil/estrutura.