Padrão INFISC Bom Princípio – Antigo

Última atualização em: 03 de setembro, 2018

O Padrão INFISC Bom Princípio não segue o padrão ABRASF. Segue abaixo as particularidades deste novo padrão:

1. Número e Série do RPS

O número da série é único obrigatoriamente. Para permitir a emissão de NFS-e, deve ser solicitada junto a prefeitura a liberação da série para emissão. A série disponibilizada é a de valor ‘S’.

2. O sistema não permite:

  • Informar o Intermediário do serviço;
  • Substituição de RPS;
  • Efetivar uma nota sem Tomador;

3. Cancelamento

O cancelamento pode ser efetuado a qualquer momento pelo contribuinte desde que não tenha efetuado a geração de sua guia mensal.

4. Tipo de placa do veículo

Placa de veículo com os possíveis seguintes formatos: XXX9999, XXX999, XX9999 ou XXXX999. Informar a placa em campo de Informações Adicionais quando tiver lei de formação diversa destes formatos e para placa da transportadora.

5. Tomador do Exterior

  • O CPF/CNPJ deve ser informado vazio;
  • A UF deve ser informada vazia;
  • Código do Município deve ser informado vazio;
  • Não é permitido substituição tributária para tomadores de serviço do exterior.

6. ISS Retido

O município não permite retenção de ISS para pessoa Física.

7. Impressão

Possui a opção de impressão com o modelo da prefeitura.

8. Exemplo XML

Clique aqui para visualizar um exemplo de XML enviado ao InvoiCy NFS-e.

Padrão SIGCorp Petrópolis

Última atualização em: 04 de julho, 2018

O Padrão SigCORP Petrópolis utiliza um modelo próprio de layout de XML. Abaixo estão detalhadas as particularidades deste padrão.

Importante:

  • Ao cadastrar uma nova empresa deverão ser preenchidos os campos de ‘Usuário’ e ‘Senha’ de autenticação nas configurações de NFS-e da empresa. Este usuário e senha devem ser solicitados com a prefeitura do seu município.
  • Quando o serviço for prestado em outro município, deve ser informado o local da prestação do serviço.

1. O sistema não permite

– Inutilização da Nota;
– Substituição de RPS;
– Informar o intermediário do serviço;
– Informar valores de desconto (informações desse tipo poderão ser declaradas no campo da discriminação do serviço);
– Informar CNAE e o código do país.

2. Número e Série do RPS

O Padrão SigCORP Petrópolis não permite que haja repetição do número de RPS, pois o mesmo não diferencia Séries de RPS, portanto cada número de RPS é único, independente de qual for a Série utilizada.

3. Tomador estrangeiro

Para efetuar a correta emissão de notas fiscais para o estrangeiro deve-se deixar de informar os seguintes campos:

– Bairro;
– CEP;
– Código do município;
– Endereço;
– Número;
– CNPJ.

Devendo ser informado apenas a razão social do tomador do serviço.

4. Natureza da Operação

Tabela com as opções de Natureza da Operação aceitas pelo sistema SigCORP Petrópolis:

Natureza da operação

5. Exemplo XML

Clique aqui para visualizar um exemplo de XML enviado ao InvoiCy NFS-e.

Padrão DEISS WS

Última atualização em: 04 de setembro, 2018

O Padrão DEISS WS utiliza o modelo ABRASF 2. Abaixo estão detalhadas as particularidades deste padrão.

1. O sistema não permite:

– Inutilização de RPS;
– Informar o tomador vazio.

2. Informação sobre a série

O padrão DEISS WS não permite que haja repetição do número de RPS, pois o mesmo não diferencia Séries de RPS, portanto cada número de RPS é único, independente de qual for a Série utilizada.

3. Tomador do exterior

– Deixar vazio o campo de código do município da prestação do serviço;
– Não informar o campo de CNPJ;
– Informar o código do país do serviço e também do tomador;
– A Natureza da Operação a ser informada é Exportação;
– UF deve ser deixado vazio;
– Informar o campo de Documento do Tomador estrangeiro;
– Informar a razão social e o e-mail do tomador.

4. Substituição de NFS-e

Caso o emissor desejar também poderá utilizar o serviço de substituição de notas, e que fará o cancelamento da nota anterior e a emissão de um novo RPS.

5. Intermediário do serviço

O grupo de intermediário possui como obrigatoriedade de informações mínimas como o CPF/CNPJ, a inscrição municipal caso o CNPJ for informado, a razão social e o código do município do intermediário do serviço.

6. Construção Civil

Informações relacionadas à construção civil devem se cadastradas com seu respectivo código de obra, relacionado ao serviço que o mesmo deseja prestar.

7. Impressão

O padrão não disponibiliza link para impressão de notas no modelo da prefeitura.

8. Natureza da Operação

Tabela com as opções de Natureza da Operação aceitas pelo sistema DEISS WS:

Natureza da operação

9. Exemplo XML

Clique aqui para visualizar um exemplo de XML enviado ao InvoiCy NFS-e.

10. Observações

O prestador deve solicitar junto a prefeitura habilitação para emitir NFS-e via integração com o WS.

O prestador deve emitir 15 notas em homologação, sendo que para estas 15, 5 devem ser substituídas via serviço de substituição e 5 canceladas via serviço de cancelamento. Somente após realizar esses procedimentos, será liberado para emitir RPS em produção. 

Padrão SIGCorp Sarandi

Última atualização em: 04 de julho, 2018

O Padrão SIGCORP Sarandi utiliza um modelo próprio de layout de XML. Abaixo estão detalhadas as particularidades deste padrão.

Importante:

Ao cadastrar uma nova empresa deverão ser preenchidos os campos de ‘Usuário’ e ‘Senha’ de autenticação nas configurações de NFS-e da empresa. Este usuário e senha devem ser solicitados com a prefeitura do seu município.

1. O sistema não permite:

– Inutilização da Nota;
– Substituição de RPS;
– Informar o intermediário do serviço;
– Informar valores de desconto (informações desse tipo poderão ser declaradas no campo da discriminação do serviço);
– Informar CNAE e o código do país;
– Informar o valor da alíquota quando o contribuinte não for Optante do Simples Nacional.

2. Número e Série do RPS

O Padrão SigCORP Sarandi não permite que haja repetição do número de RPS, pois o mesmo não diferencia Séries de RPS, portanto cada número de RPS é único, independente de qual for a Série utilizada.

3. Tomador estrangeiro

Para efetuar a correta emissão de notas fiscais para o estrangeiro deve-se deixar de informar os seguintes campos:

– Bairro;
– CEP;
– Código do município;
– Endereço;
– Número;
– CNPJ;

Devendo ser informado apenas a razão social do tomador do serviço.

4. Natureza da Operação

Tabela com as opções de Natureza da Operação aceitas pelo sistema SigCORP Botucatu:

Natureza da operação

5. Exemplo XML

Clique aqui para visualizar um exemplo de XML enviado ao InvoiCy NFS-e.

Padrão TIPLAN 2.0

Última atualização em: 05 de junho, 2018

O Padrão TIPLAN 2.0 segue o modelo sugerido pela ABRASF, na versão 2.02. Disponibilizando a tecnologia de Web Services para realizar as emissões de NFS-e. Abaixo, estão descritas as particularidades deste padrão.

1. Natureza da Operação
Para as empresas que utilizam a opção de tabela unificada do InvoiCy, devem informar os seguintes valores de natureza da operação.

Natureza da operação

2. Outras Informações
O padrão TIPLAN 2.0 não possui uma tag específica de outras informações sobre o RPS a ser emitido, por isso, no cadastro da empresa, deve-se escolher o valor “Sim” para o campo “Concatenar Discriminação e Outras Informações”, como mostra a imagem.

Outras informações

3. Cancelamento
Não é possível realizar o cancelamento via Web Service, portanto, a prefeitura determina utilizar em seu lugar o serviço de substituição de NFSe.

4. Exemplo XML

Clique aqui para visualizar um exemplo do XML enviado ao InvoiCy NFS-e.

Padrão SIGCorp Botucatu

Última atualização em: 05 de junho, 2018

O Padrão SIGCORP Botucatu utiliza um modelo próprio de layout de XML. Abaixo estão detalhadas as particularidades deste padrão.

Importante:
Ao cadastrar uma nova empresa deverão ser preenchidos os campos de ‘Usuário’ e ‘Senha’ de autenticação nas configurações de NFS-e da empresa. Este usuário e senha devem ser solicitados com a prefeitura do seu município.

1. O sistema não permite

– Inutilização da Nota;
– Substituição de RPS;
– Informar o intermediário do serviço;
– Informar valores de desconto (informações desse tipo poderão ser declaradas no campo da discriminação do serviço);
– Informar CNAE e o código do país;
– Informar o valor da alíquota quando o contribuinte não for Optante do Simples Nacional.

2. Número e série do RPS

O Padrão SigCORP Botucatu não permite que haja repetição do número de RPS, pois o mesmo não diferencia Séries de RPS, portanto cada número de RPS é único, independente de qual for a Série utilizada.

3. Tomador estrangeiro

Para efetuar a correta emissão de notas fiscais para o estrangeiro deve-se deixar de informar os seguintes campos:
– Bairro;
– CEP;
– Código do município;
– Endereço;
– Número;
– CNPJ;

Devendo ser informado apenas a razão social do tomador do serviço.

4. Natureza da operação

Tabela com as opções de Natureza da Operação aceitas pelo sistema SigCORP Botucatu:

Natureza da operação

5. Exemplo XML

Clique aqui para visualizar um exemplo do XML enviado ao InvoiCy NFS-e.

Padrão eISS.Net Upload

Última atualização em: 26 de abril, 2018

O Padrão eISS.Net utiliza um modelo próprio de layout de XML, no entanto não tem suporte à tecnologia de Web Services, sendo necessário realizar o upload dos arquivos no site da prefeitura.

O padrão possui apenas ambiente de produção disponível, permitindo apenas testes neste ambiente.

A natureza da operação segue a tabela unificada do layout de integração. Outras particularidades são listadas abaixo:

1. O sistema não permite:

– Consulta de RPS e NFS-e;
– Inutilização da Nota;
– Substituição de RPS;
– Informar o intermediário do serviço;
– Informar valores de desconto (informações desse tipo poderão ser declaradas no campo da discriminação do serviço);
– Informar CNAE e o código do país;
– Tomador estrangeiro.

2. Número e Série do RPS

A série a ser utilizada ao efetuar o envio de notas deve ser a padrão estipulada pela prefeitura do seu município. Caso o contribuinte já possua notas enviadas no sistema da prefeitura deverá utilizar a série que está definida nas notas anteriores, se o mesmo não possuir notas verificar com o município qual a devida série a ser enviada.

3. Efetuando importações, cancelamento e impressão de RPS

Efetue o login com usuário e senha solicitados na prefeitura do seu município e trará a Página Inicial. Nesta interface tem-se o acesso à todos os serviços disponibilizados pelo sistema da prefeitura, incluindo aqueles de maior relevância fiscal ao contribuinte que é a importação de arquivos e as informações de seu período fiscal e das notas fiscais eletrônicas como se apresenta na imagem abaixo:

Após acessar a opção de Importar Arquivo, tem-se acesso à tela de importação de Notas Fiscais, correspondente ao local que deve-se efetuar a importação do RPS que foi gerado no InvoiCy. Possuindo também a opção de Histórico de Importações, onde você poderá ter acesso aos RPS rejeitados ou autorizados e convertidos para Notas Fiscais de Serviço Eletrônica pelo sistema da prefeitura.

Após efetuar a importação de qualquer RPS automaticamente o contribuinte possuirá a opção de fazer o download do retorno do RPS. Esse retorno é necessário para efetuar a atualização e conversão de Notas Fiscais no InvoiCy, logo deve ser realizada.

Algumas regras básicas e simples devem ser seguidas para que a ocorrência do retorno desse RPS importado seja autorizado com sucesso:

  • Informar corretamente os campos obrigatórios como alíquota, valores de serviço da nota e suas deduções, item da lista de serviço, exigibilidade do ISS e município de incidência.

Caso os campos obrigatórios não foram informados, o sistema da prefeitura trará no arquivo de retorno o código de erro -1. Este erro deve ser corrigido para reenviar a nota e autorizá-la.

Alguns campos podem deixar de ser informados de forma que o sistema da prefeitura retornará o código de erro -2, mas junto desse retorno haverá o número da NFS-e, código de verificação e sua série, logo essa nota pode ser importada normalmente no InvoiCy ocasionando autorização da NFS-e, portanto é de extrema importância que todos os retornos devam ser exportados e consequentemente analisados, devendo ser importados apenas os retornos de sucesso e com o código de erro -2, pois os dois tipos foram convertidos em NFS-e.

Na tela de Histórico de Importações tem-se todos os RPSs importados por aquele contribuinte até o momento, possuindo notas com sucesso e erro, ambos devem ser analisados. Nessa mesma tela exibe-se a opção de importar devendo ser acessado sempre Serviços Prestados, pois a prefeitura não disponibiliza importação de serviços tomados no formato XML.

Acessando a tela de Inicio do sistema da prefeitura possuímos o ícone destacado com o nome Nota Eletrônica, que seguirá para a seguinte tela de Nota Fiscal de Serviço Prestado, que possui as informações do seu período Fiscal, geralmente o último período criado e em aberto pelo contribuinte, possui também as informações das Notas Fiscais com o número da NFS-e importada, o dia de importação, CPF/CNPJ do tomador e o valor da nota fiscal. Selecionando a nota pode-se ter o acesso se ela está ativa ou cancelada. A opção de cancelamento está logo abaixo da nota, e as opções de impressão e exportação da NFS-e, essa exportação não se faz necessária para o InvoiCy pois o mesmo já possui registro fiscal do retorno da importação, descrito no passo anterior.

Ao acessar o cancelamento possuirá a tela onde deve-se marcar ‘Sim, cancelar’ e as notas serão enviadas ao seu devido emissor.

4. Natureza da Operação

Tabela com as opções de Natureza da Operação aceitas pelo sistema:

5. Exemplo XML

Clique aqui para visualizar um exemplo do XML enviado ao InvoiCy NFS-e.

Padrão SIGCORP Governador Valadares

Última atualização em: 05 de abril, 2018

O Padrão SigCORP Governador Valadares utiliza um modelo próprio de layout de XML. Abaixo estão detalhadas as particularidades deste padrão:

Importante:

  • Ao cadastrar uma nova empresa deverão ser preenchidos os campos de ‘Usuário’ e ‘Senha’ de autenticação nas configurações de NFS-e da empresa. Este usuário e senha devem ser solicitados com a prefeitura do seu município.
  • Quando o serviço for prestado em outro município, deve ser informado o local da prestação do serviço.

1. O sistema não permite:

– Inutilização da Nota;
Substituição de RPS;
– Informar o intermediário do serviço;
– Informar valores de desconto (informações desse tipo poderão ser declaradas no campo da discriminação do serviço);
– Informar CNAE e o código do país;
Informar o valor da alíquota quando o contribuinte não for Optante do Simples Nacional;
– Tomador estrangeiro.

2. Número e Série do RPS

O Padrão SigCORP Governador Valadares não permite que haja repetição do número de RPS, pois o mesmo não diferencia Séries de RPS, portanto cada número de RPS é único, independentemente de qual for a Série utilizada.

3. Tomador não identificado

Para efetuar a correta emissão de notas fiscais para tomadores não identificados, deve-se deixar de informar ao menos os seguintes campos:

– Bairro;
CEP;
Código do município;
Endereço;
Número;
CNPJ.

4. Natureza da Operação

Tabela com as opções de Natureza da Operação aceitas pelo sistema SigCORP Governador Valadares:

Natureza da operação

5. Exemplo XML

Clique aqui para visualizar um exemplo do XML enviado ao InvoiCy NFS-e.

Padrão SIGCORP Itapira

Última atualização em: 26 de março, 2018

O Padrão SIGCORP Itapira utiliza um modelo próprio de layout de XML. Abaixo estão detalhadas as particularidades deste padrão:

Importante:

Ao cadastrar uma nova empresa deverão ser preenchidos os campos de ‘Usuário’ e ‘Senha’ de autenticação nas configurações de NFS-e da empresa. Este usuário e senha devem ser solicitados com a prefeitura do seu município.

1. O sistema não permite

– Inutilização da Nota;
Substituição de RPS;
Informar o intermediário do serviço;
– Informar valores de desconto (deve ser enviado já descontado no valor do serviço);
– Informar CNAE;
– Informar o código do país do serviço;
Informar o valor da alíquota quando o contribuinte não for Optante do Simples Nacional.

2. Número e Série do RPS

O Padrão SigCORP Itapira não permite que haja repetição do número de RPS, pois o mesmo não diferencia Séries de RPS, portanto cada número de RPS é único, independente qual for a Série utilizada.

3. Tomador estrangeiro

Para efetuar a correta emissão de notas fiscais para o estrangeiro deve-se deixar de informar os seguintes campos:

– Bairro;
– CEP;
– Código do município;
– Endereço;
– Número;
– CNPJ.

Devendo ser informado apenas a razão social do tomador do serviço.

4. Natureza da Operação

Tabela com as opções de Natureza da Operação aceitas pelo sistema SigCORP Itapira:

Natureza da Operação

5. Exemplo XML

Clique aqui para visualizar um exemplo do XML enviado ao InvoiCy NFS-e.

 

Padrão SMARAPDSil WS2

Última atualização em: 14 de março, 2018

O Padrão SMARAPDSil WS2 utiliza o modelo de layout de XML ABRASF 2. Abaixo estão detalhadas as particularidades deste padrão:

1. O sistema não permite:

– Inutilização de RPS.

2. Tomador do exterior

– Deixar vazios os campos de código do município da prestação do serviço;
– Informar o código do país do serviço e também do tomador;
– A Natureza da Operação a ser informada é Exportação.

3. Substituição de NFS-e

Caso o emissor desejar também poderá utilizar o serviço de substituição de notas, e que fará o cancelamento da nota anterior e a emissão de um novo RPS.

4. Intermediário do serviço

Para informar o Intermediário do Serviço será necessário que o mesmo esteja cadastrado no sistema SMARAPDSil WS2 como um contribuinte.

5. Construção Civil

Informações relacionadas à construção civil devem se cadastradas com seu respectivo código de obra, relacionado ao serviço que o mesmo deseja prestar.

6. Impressão

O padrão não disponibiliza link para impressão de notas no modelo da prefeitura.

7. Exportação do Certificado Digital

Para efetuar a comunicação com o web service, deve-se possuir o cadastro correto com o certificado digital anexado ao sistema DEISS. O tipo de extensão permitida pelo sistema é o (.cer). Nesse caso deve-se possuir o certificado instalado em seu notebook ou computador.

O processo de exportação será realizado da seguinte forma; acesse o Internet Explorer que está instalado em sua máquina, em seguida vá ao ícone de  Configurações e Opções da Internet como demonstra a imagem à seguir:

Na tela de Opções da Internet haverá a janela de Conteúdo e possui-se acesso aos Certificados que estão vinculados à sua máquina.

Acessando os Certificados haverá em seguida uma nova janela com as informações de vários certificados, onde os certificados pessoais estão instalados. O certificado que será utilizado para a sua empresa deverá ser exportado, selecionando a opção Exportar conforme o exemplo na imagem:

Em seguida haverá o Assistente de Exportação do Certificado Digital, e dando sequência no Avançar.

Marque a opção ‘Não, Não exportar a chave privada’ e clique em Avançar:

Em seguida deve-se selecionar a opção de ‘X.509 binário codificado por DER(*.cer)’ e Avançar:

Após a escolha do tipo de extensão deve-se  escolher o caminho onde irá salvar o seu certificado exportado, colocando o nome dele (certificado.cer) com o tipo da extensão em seguida Avançar:

Em seguida conclui-se a exportação do certificado.

8. Natureza da operação

Tabela com as opções de Natureza da Operação aceitas pelo sistema SMARAPDSil WS2:

Natureza de operação

9. Exemplo XML

Clique aqui para visualizar um exemplo do XML enviado ao InvoiCy NFS-e.